Total de visualizações de página

domingo, 24 de janeiro de 2016

EVENTO : APOGEU POÉTICO - CLÁSSICO Tema : Esperança Patrono ; Fernando Erica Beltrame Pessoa Acadêmico: João Urague Filho Cadeira: 02 A ESPERANÇA Duas portas: Uma dá para a esperança, Como astro que reluz na nossa frente; Finge que dá mas não dá a toda gente, E por mais que se lhe tenha não alcança. A porta da saudade é diferente, E corre como um rio muito mais mansa; Guardando seus achados na lembrança, Conforme se lhe tenham recorrentes. De uma porta para a outra corre a vida, Prensada nas volúpias do presente, Entre a dor e a delícia revivida; Quando uma porta bate simplesmente, Uma outra porta se abre prometida, Como um sonho adiado para sempre! João Urague https://www.facebook.com/AcademiaVirtualDeLetras/?fref=ts



EVENTO : APOGEU POÉTICO - CLÁSSICO
Tema : Esperança
Patrono ; Fernando Erica Beltrame Pessoa
Acadêmico: João Urague Filho
Cadeira: 02
A ESPERANÇA
Duas portas: Uma dá para a esperança,
Como astro que reluz na nossa frente;
Finge que dá mas não dá a toda gente,
E por mais que se lhe tenha não alcança.
A porta da saudade é diferente,
E corre como um rio muito mais mansa;
Guardando seus achados na lembrança,
Conforme se lhe tenham recorrentes.
De uma porta para a outra corre a vida,
Prensada nas volúpias do presente,
Entre a dor e a delícia revivida;
Quando uma porta bate simplesmente,
Uma outra porta se abre prometida,
Como um sonho adiado para sempre!
Patrono ; Fernando Erica Beltrame Pessoa
Acadêmico: João Urague Filho
Cadeira: 02


A ESPERANÇA

Duas portas: Uma dá para a esperança,
Como astro que reluz na nossa frente;
Finge que dá mas não dá a toda gente,
E por mais que se lhe tenha não alcança.

A porta da saudade é diferente,
E corre como um rio muito mais mansa;
Guardando seus achados na lembrança,
Conforme se lhe tenham recorrentes.

De uma porta para a outra corre a vida,
Prensada nas volúpias do presente,
Entre a dor e a delícia revivida;

Quando uma porta bate simplesmente,
Uma outra porta se abre prometida,
Como um sonho adiado para sempre!

João Urague

Nenhum comentário:

Postar um comentário