Total de visualizações de página

domingo, 21 de fevereiro de 2016

HOMENAGEM AO PATRONO DA AVL por José Manuel Cabrita Neves


José Manuel Cabrita Neves












HOMENAGEM AO PATRONO DA AVL POETA ANTÓNIO ALEIXO NA SEMANA COMEMORATIVA DO SEU NASCIMENTO.

Patrono : Antero de Quental
Académico : José Manuel Cabrita Neves
Cadeira : 07


MOTE

Fui policia, fui soldado,
Estive fora da nação;
Vendo jogo, guardo gado,
Só me falta ser ladrão.
António Aleixo

GLOSAS
Na luta pelo sustento
Desta família que tenho,
Exerço todo o empenho,
Às vezes com sofrimento
E certas faltas de alento,
Ao fim do dia, cansado,
Pela vida amargurado…
Mas entre outras profissões,
Para ganhar uns tostões,
Fui policia, fui soldado,

Também fui um bom pedreiro,
Trabalho duro, que cansa,
Cheguei a ir para França,
Para ganhar mais dinheiro,
Mas a vida no estrangeiro,
Sem ter uma habitação,
Foi um choque uma ilusão,
Não há como o nosso lar…
E até poder regressar,
Estive fora da nação.

Mas as carências da vida,
Não me deixavam parar,
Precisava trabalhar,
Levar pra casa a comida,
Que a família era comprida
E era sempre complicado,
Esticar o meu ordenado…
Por isso, pra conseguir
A nossa fome iludir,
Vendo jogo, guardo gado.

Toda a vida trabalhei
E honestamente falando,
Só sujo as minhas mãos quando,
No trabalho as mergulhei!
Já que roubar eu não sei,
Não é minha condição,
O roubo por profissão!
Já fiz de tudo um bocado,
Sendo pobre mas honrado,
Só me falta ser ladrão.

José Manuel Cabrita Neves

Carnaxide, 16-02-2016

Nenhum comentário:

Postar um comentário