Total de visualizações de página

segunda-feira, 30 de maio de 2016

APOGEU POÉTICO - MODERNO TEMA:DESTINO **BY**Acadêmico: Djalma Pinheiro..






APOGEU POÉTICO - MODERNO
Patrono: Vinicius de Moraes
Acadêmico: Djalma Pinheiro..
Cadeira : 13...
Tema : Destino. 

Meu destino ou minha sina...

Será que é sina o que meu destino me reservou
Nasci quando todos diziam ser impossível
A gravidez de minha mãe vingar
Pois ela já tendo tido oito filhos
E com quarenta três anos e doente
Havia perdido um dos seios por câncer
Um ano antes de engravidar de mim.

Ah, mas teimoso que sou
Sai de seu ventre
Agarrando-me a vida
Já nasci lutando
E aprendendo ao sair do ventre
De uma guerreira a lutar
Pois ela me passava isso eu ainda em seu ventre
Sentia a sua garra.

Aos três anos, tomei a primeira porrada firme da vida
Meu pai homem simples, trabalhador e honrado
Um grande socialista, filiado e fundador
Como marmorista do PSB
Morre de câncer na laringe
Talvez depois de meu nascimento
A primeira prova de garra a vida.

Nossa o que o destino me reservou
Menino prodígio 
Que aos seis anos já soletrava e bem
O Jornal dos Esportes
Trazido diariamente pelo meu irmão mais velho
Quando vinha da padaria
Ele era padeiro.

Já adolescente escutando as histórias 
Contadas pelos meus irmãos
Dos pensamentos de meu pai
E o que ele falava
Sobre a vida e a política
Comecei a me interessar
Culminando com minha entrada na JS
Em plena efervescência política
Ode aos dezessete anos
Ia as passeatas do movimento estudantil
Culminando com a ajuda em escrever
Manifestos contra o golpe militar.

Ah, ai também comecei a tentar rabiscar
Uns escritos que diziam serem poesias
Como não ouvíamos e nem líamos literalmente nada
De jovem guarda, hippies, rock 
Éramos digamos um pouco diferentes
Líamos muito desde Marx a Graciliano Ramos
Ouvíamos muito MPB
E obviamente discutíamos muito sobre política.

Meus rabiscos que falavam serem poéticos
Eu particularmente os achava bobos
Mas as mocinhas gostavam
Onde me incentivei
Não sei honestamente se era 
Para impressionar elas
Ou porque gostava
E ate hoje digo que não sou poeta
Sou um escritor que esta poeta.
Esta ai mais uma vez o destino me pregando peças.

Sinistro este destino
Que hoje aos sessenta e cinco anos
Continuo lutando pela vida e para sobreviver
Com os mesmos ideais.

Este destino que me fez assim
Escritor que dizem ser poeta
Poeta eu não sou
Poeta gosta de rimas e regras.

Eu gosto é de escrever
Ou como uma de minhas frases
“não escrevo, psicografo o meu interior e o do alheio”

Ai pergunto e destino ou é sina....

Djalma Pinheiro
Faceboock: gabinanacomerv@gmail.com
Comunidade: ttps://www.facebook.com/Papo-de-Botequim-com-poesias-MPB-478793652292942/
E-livros: Disponíveis gratuitamente em meu site.







Nenhum comentário:

Postar um comentário