Total de visualizações de página

quarta-feira, 15 de março de 2017


AVL homenageia sua mui querida filha Lua Nova Nanda e seu patrono o poeta , escritor , poeta e compositor Mario Lago por todo o dia de hoje faremos revisitas aos escritos de ambos poetas!

Meu sonho

Será que sonhar é bobagem?
Será que é coisa de criança?
Pois eu digo com toda coragem:
Em meus sonhos eu tenho esperança.


Desde de menina eu sonho...
Em ter um príncipe encantado.
É feito coisa que fosse um grande conto...
Onde eu encontraria o meu amado.

Eu sempre sonhei em ser princesa...
Onde meu príncipe viesse me resgatar.
E que me levasse pra sua realeza...
Onde ele pudesse apenas a mim amar.

Esse príncipe seria um grande cavalheiro...
Que a mim me daria a sua mão.
Para que ele fosse meu eterno companheiro...
E dono pra sempre do meu amado coração.

Ele realizaria todos os meus desejos...
De ser amada e acariciada de verdade.
E assim eu me perderia em seus apaixonados beijos...
Ahhh, como eu quero esse príncipe em minha realidade!!!

Nanda
(Direitos reservados á autora)
(¯`v´¯)☆☆!☆☆
.`•.¸.• 
☆☆ *° Poesias & Poemas da Nanda *° ☆☆
AVL e os membros deste magno grupo poético revisitam os escritos dos poetas  Lua Nova Nanda membro AVL e os do seu patrono o poeta, cantor e ator Mario Lago!

Mais de um amor numa vida
É muito fácil de ter
A dor de amor é esquecida
Talvez nem chegue a doer
Mesmo se o fim é tristeza
Vazio no coração
No fim só fica a beleza
De uma bonita paixão
E embora o amor destruído
E o tanto que se sofreu
O tempo não foi perdido
A gente é que se perdeu

Mário Lago


Biografia

Filho do maestro Antônio Lago e de Francisca Maria Vicencia Croccia Lago, e neto do anarquista e flautista italiano Giuseppe Croccia, formou-se em Direito pela Universidade do Brasil, em 1933, tendo nesta época se tornado marxista. A opção pelas ideias comunistas fizeram com que fosse preso em sete ocasiões - 1932, 1941, 1946, 1949, 1952, 1964 e 1969.

Foi casado com Zeli, filha do militante comunista Henrique Cordeiro, que conhecera numa manifestação política, até a morte dela em 1997. O casal teve cinco filhos: Antônio Henrique, Graça Maria, Mário Lago Filho, Luís Carlos (em homenagem ao líder comunista Luís Carlos Prestes) e Vanda.


Torcedor do Fluminense Football Club, chegou a declarar, na época do primeiro rebaixamento do clube, que a virada de mesa em favor do tricolor carioca havia sido uma atitude vergonhosa de todos os responsáveis, envolvidos no esquema. Ele afirmava, veementemente, que o time deveria ter voltado à divisão de elite do Campeonato Brasileiro no campo, e não no tapetão.




Apreciemos os escritos da poetisa AVL Fernanda Nanda e os do seu patrono o poeta, cantor, ator Mario Lago que é representado às quartas feiras na Academia Virtual de Letras!

Dizem que ser romântica(o) é ser brega...
Que ser assim é coisa do passado.
Pois eu discordo disso...
Sabe por que???
Porque o romantismo é algo prazeroso...
É amar e ser amada(o) de um jeitinho carinhoso.
Não é como essa forma grosseira de prazer...
Onde os corpos não se respeitam e só querem desejos ter.
Uma pessoa romântica se preocupa...
Se dedica por prazer aos sentimentos.
Quando ama, ama por amar e não por culpa...
Pois amar está em seus mais lindos pensamentos.
Quem ama de verdade,
Não olha o corpo como primazia.
Tem o seu coração live para amar...
E ao amor sincero e verdadeiro poder se entregar.
Eu não acho brega alguém demonstrar carinho...
Chegar de repente e nos encher de beijinhos.
Chegar de surpresa e querer nos entregar...
Um buquê ou uma carta para nos presentear.
Sem contar nas palavras lindas de amor...
Que sem menos a gente esperar,
As ouvimos bem devagarinho em nossos ouvidos.
São palavras que fazem a gente viajar...
Buscando os sentimentos mais secretos e escondidos.
Sentimentos sinceros de querermos amar...
De querermos ser felizes e ao amor nos dedicar.
Amar assim é sem dúvidas nenhuma padecer no paraíso...
Amar e ser amada assim...
É tudo o que realmente eu mais preciso.


Nanda 💞🖊
(Direitos reservados á autora)
(¯`v´¯)
.`•.¸.

❥ Poesias & Poemas da Nanda ❥



Vislumbremos os poemas da poetisa AVL Fernanda Nanda e os do seu patrono o poeta, escritor, ator, compositor, radialista, advogado, Mario Lago o qual é representado às quartas feiras na AVL!

Devolve

Mandaste as velhas cartas comovidas,
Que na febre do amor te enviei;
Mandaste o que ficou de duas vidas:
O romance, uma dor que provei...
Mandaste tudo, porém,
Falta o melhor que te dei:

Devolve toda a tranquilidade
Toda a felicidade
Que eu te dei e que perdi
Devolve todos os sonhos loucos
Que eu construí aos poucos
E te ofereci
Devolve, eu peço, por favor
Aquele imenso amor
Que nos teus braços esqueci
Devolve, que eu te devolvo ainda
Esta saudade infinda
Que eu tenho de ti
Mário Lago


Vislumbremos os poemas da poetisa AVL Fernanda Nanda e os do seu patrono o poeta, escritor, ator, compositor, radialista, advogado, Mario Lago o qual é representado às quartas feiras na AVL!

Devolve

Mandaste as velhas cartas comovidas,
Que na febre do amor te enviei;
Mandaste o que ficou de duas vidas:
O romance, uma dor que provei...
Mandaste tudo, porém,
Falta o melhor que te dei:


Devolve toda a tranquilidade
Toda a felicidade
Que eu te dei e que perdi
Devolve todos os sonhos loucos
Que eu construí aos poucos
E te ofereci
Devolve, eu peço, por favor
Aquele imenso amor
Que nos teus braços esqueci
Devolve, que eu te devolvo ainda
Esta saudade infinda
Que eu tenho de ti
Mário Lago


terça-feira, 14 de março de 2017






Dia festivo dia de celebrar a poesia dia de homenagem AVL, hoje a poetisa Cler Ruvver e seu patrono o poeta Joaquim Moncks serão revisitados nas suas escritas!




A ÁGUIA E O MAR
Cler Ruvver
Visivelmente, coração pulsa, junto à onda, qual sonho ateu. 

Como viajam os passarinhos, Iluminando sonhos de Deus. 

Em cada veia existem ondas, correndo livres, a navegar. 

Que faz a vida, qual oceano, levar os sonhos, ao alto mar. 

Assim viajam os pensamentos, livres e isentos de guardião.

Sem deixar marcas, tocam à areia para isentar a recordação.

Talvez por isso no marinheiro, gosto de mar, sempre irá ficar.

Para das ondas fazer segredo, em novo enredo para abraçar.

Pulsam os sonhos como meninos, batendo à porta do coração. 

E a saudade, sem ter idade, chora, sem nem dar explicação. 

Quem sabe em cada onda atrevida, com piruetas, soltas no ar. 

Esteja um sonho navegador, que foi embora e não quer voltar. 

Como alguém, que inventa abrigo, como se fosse famosa atriz. 

Ou uma águia, que já pescou, jaz na montanha, em final feliz!



A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo

AVL e os dezesseis mil cento e cinco apaixonados pela bela arte da escrita que emociona e toca o coração hoje revistam os poemas de sua mui amada filha Cler Ruvver e do seu patrono Joaquim Moncks!
A imagem pode conter: 1 pessoa, sorrindo, close-up
O HOMEM É O QUE ELE ACREDITA SER

O homem é o que ele está pensando, portanto: filosofia em ação no plano da realidade. É a cuca que nos faz andar no mundo. Até chegarmos à ação, vai uma boa nesga de tempo definida entre as veredas do Absoluto. Quem estiver mais dentro Dele, terá a oportunidade de intuir por primeiro. Mas nem sempre saberá se estará certo na cabeça do Outro. Porque tudo no mundo merece contradição. Acredito que Hegel, o filósofo, estava peremptoriamente correto. Ou não?
– Do livro O PAVIO DA PALAVRA, 2015/17.
Joaquim Moncks

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, céu, oceano, texto, natureza e atividades ao ar livre


Vislumbremos quão belos poemas dos poetas Joaquim Moncks patrono da poetisa Cler Ruvver o qual é representado com garbo e beleza poética às sextas feiras na AVL!

A LANTERNA MÁGICA
(para Ferreira Gullar, companheiro de jornada noutro plano)


Mais uma estrela no firmamento alumbra nossos humanos e mareados olhos. Se o poema dentro da noite veloz foi sujo um dia, a Poética adensa o exercício da liberdade de ser e viver. Poesia é o pensamento em movimento. De capa e espada para louvar o sonho. A farsa e a fantasia apenas escondem a timidez do estar vivo, entre a palavra e o gesto. Alguns resistem ao olhar de dentro. Mesmo com a lanterna mágica na testa, a cada dia estamos mais sós. Entre a fome e a esperança.

– Do livro O PAVIO DA PALAVRA, 2015/16.
Joaquim Moncks




A imagem pode conter: flor, planta e natureza


Apreciemos com olhos do coração os escritos dos poetas Cler Ruvver membro AVL e do seu patrono Joaquim Moncks!

SINTONIA FINA
O chumbo dos anos ensinou-me
a ser menor em ações
e expectativas.
Que estejamos bem e em paz
para o amor aos nossos afetos.
A palavra nos obriga
ao silêncio.
Assim, carecemos menos.


– Do livro O PAVIO DA PALAVRA, 2015/17.
Joaquim Moncks


A imagem pode conter: 1 pessoa, close-up









DADOS DE VIDA E OBRA

Oficial PM, na reserva. Advogado. Professor de
Criminologia, Ciência e Direito Penitenciário, Direito
Processual Penal Militar e Segurança Empresarial.
Ativista Cultural. Agente Literário. Poeta. Declamador.
Conferencista. Ensaísta. Analista literário. Jurado em
certames literários, em festivais nativistas e eventos de
poesia e música popular.

Nascido em Pelotas, em 29 de setembro de 1946. Tem a
cidade de Canguçu, um lindo município agro-pastoril de
gente inteligente e bonita, como sua segunda terra,
porque lá iniciou sua carreira como oficial de polícia
militar, aos 23 anos, em 1969.

Deputado constituinte à Assembléia Legislativa do Estado,
em 1989, presidiu a Comissão Temática de Educação,
Desporto, Ciência, Tecnologia e Turismo, ajudando a
forjar a carta constitucional do Rio Grande do Sul,
pioneira em muitos aspectos, principalmente nas áreas da
Educação e da Cultura.

Como deputado, foi autor de três importantes projetos,
todos transformados em lei: o das PILCHAS GAÚCHAS, que
oficializou a indumentária tradicional do homem e da
mulher gaúcha, em respeito à ancestralidade e à tradição
agro-pastoril do RS, como traje preferencial e de honra
no território do Estado (1989); o que institui o 20 de
novembro, dia da morte de Zumbi, o líder negro dos
Palmares, como o DIA ESTADUAL DA CONSCIÊNCIA NEGRA, em
homenagem à negritude rio-grandense (pela primeira vez um
líder político, no Brasil, lograva pedir desculpas pela
escravidão imposta aos negros). Por fim, aquele que
institui o dia 04 de Dezembro como o DIA DO ARTISTA
REGIONALISTA E DO POETA REPENTISTA GAÚCHO (1989).

De 1973 até 2005, entregou ao público sete livros
individuais, no gênero Poesia: ENSAIO LIVRE (plaqueta),
1973; FORÇA CENTRÍFUGA,1979; ITINERÁRIO (?), 1983; O EU
APRISIONADO, 1986; O SÓTÃO DO MISTÉRIO, 1992; O POÇO DAS
ALMAS, 2000, e OVO DE COLOMBO, 2005.

Tudo o que publicou em prosa estava disperso em mais de
uma centena de antologias e coletâneas, editadas no país
e no estrangeiro. Em novembro de 2008, durante a 54ª
Feira do Livro de Porto Alegre e 36ª Feira do Livro de
Pelotas, publicou CONFESSIONÁRIO – Diálogos entre Prosa e
Poesia.

A existência do "Recanto das Letras - Sítio para
Escritores" o tem estimulado a publicar crônicas, contos,
prosa poética, artigos, ensaios e mensagens onde
perpassam o fogo poético e a tentativa estética da
contemporaneidade formal.

Trabalha, desde novembro de 2004, nos textos inéditos de
BULA DE REMÉDIO, poesia universalista. Previsão de
publicação para 2009.

Também está recolhendo material para o livro de poemas
regionalistas DE QUANDO O CORAÇÃO ABRE A CORDEONA,
iniciado em 1978, quando tinha intensa participação nos
movimentos tradicionalista e nativista do RS. Nessa
época, 1982/87, integrou o Conselho de Cultura do
Movimento Tradicionalista Gaúcho - MTG, órgão informal de
política cultural com forte atuação durante os três
mandatos do presidente Zeno Dias Chaves, que, nas novas
administrações do MTG, perdeu força e desapareceu.

Em 1995, iniciara a coleta de textos para o livro OS
MENESTRÉIS ESTÃO VIVOS,em que também predomina a prosa
poética.