Total de visualizações de página

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017



A imagem pode conter: flor

Apogeu Poético Festivo
18 de fevereiro Aniversário de Antonio Aleixo Patrono AVL

Patrono : Antero de Quental
Académico: José Manuel Cabrita Neves
Cadeira: 07

O luxo valor não tem
Nos que nascem p'ra pequenos.
Os pobres sentem-se bem
Com mais pão e luxo a menos

António Aleixo

GLOSA
Pra quem nasceu na pobreza
E nunca teve uma chance
De ter ouro ao seu alcance,
Só dá valor à riqueza,
De ter comida na mesa,
Mesmo que perto haja alguém,
Que o olhe até com desdém,
Não se sente incomodado,
Pois pra quem vive “apertado”,
O luxo valor não tem!

Não pensam, sequer, sonhar,
Com voos mais altos na vida,
Pois é batalha perdida,
Pra quem não sabe voar,
Mas apenas caminhar,
Por tortuosos terrenos,
Cheios de tojos e fenos…
Ande a sorte por onde ande,
Nunca ela será grande,
Nos que nascem pra pequenos!

É própria a resignação,
De quem vive na carência,
Com fome mas com paciência,
Por ser essa a condição,
Que o destino ou o condão,
Lhes impôs como convém,
A quem seja um zé ninguém…
Mas, ao pouco, habituados,
No bolso tendo uns trocados,
Os pobres sentem-se bem!

Enquanto a riqueza ostenta,
Luxuosos ornamentos,
Em festas e outros eventos
E também não se contenta,
Sem marisco na ementa,
Com preços ditos obscenos,
Prós ordenados pequenos,
Que os pobres pobres auferem,
Mas felizes ao viverem,
Com mais pão e luxo a menos!...

José Manuel Cabrita Neves

Um comentário: