Homenagens e Cartões

Total de visualizações de página

sábado, 24 de setembro de 2016

Em Comemoração à Primavera! Vânia Oliveira

Patrono: Pixinguinha
Acadêmica: Vânia Oliveira
Cadeira: 20
22 de setembro : Inicio da Primavera.

A MELHOR DAS ESTAÇÕES

Ela queria sol, queria mar, queria a vida
Saltava de alegria ao ver as flores coloridas...
Ela, dizia que a primavera chegava pintava
de alegria o mundo inteiro.

Ele, só queria aproveitar
mais uma primavera
Porque cada uma é única em nossa existência!

A cada um de vocês, desejo a melhor primavera
todos os dias!
Vânia Oliveira



Em Comemoração à Primavera! Sonia Gonçalves

Patrono William Shakespeare
Acadêmica honorária: Sônia M. Gonçalves
22 de setembro : Início da Primavera
Borboleteando Primavera

Ando borboleta em tom tecida...
Num tom furta-cor primaveril
Borboleta ando de primavera urdida
Com a alma ardida d'amor a mil...

Sutil a vida é mantida florida
Enfeitada de prosas e ramos de rosas
De Sol de primavera permanente
Clonada em forma diversas glosas
Sofrida li Frida...

Esta tinha alma florida
Porém ferida
Ando entontecida com tantas cores
Moldada arrumada comum arranjo
Embevecida no meio de tantas flores
A boca apetecida com papo de Anjo...

Tão doce entorpecimento
Florir feito botões de flamboyant
Levitar feito flor de hortelã pelo vento
Sorrir á flor d'alma ao capim da manhã
Destilar o amor incomensurável

Abraçar o incomparável
A estação mais linda e memorável
Permanecer assim florinda
Borboleteando o meu centro
Primaverando-me por dentro
Florindo pelo avesso de mim...

Son Dos Poemas
Sônia M.Gonçalves

http://sopoesie.blogspot.com.br/
http://sondospoemas.blogspot.com.br/
http://festimdeversos.blogspot.com.br/



Em Comemoração à Primavera! Simone Moisés

Patronesse: Clarice Lispector
Acadêmica: Simone Moises
Cadeira: 10

TERRA FÉRTIL BROTA VIDA!
Cultive dentro de si a primavera em toda estação
Plante com amor, colha com emoção.
Bom seria primavera todo dia, todo tempo
águas tão frescas, folhas embaladas pelo vento
Se cada um fosse uma flor, a cidade coloriria
floresceria em palavras, pensamentos e poesias
Ah! quão bom seria!

SyMoises



Em Comemoração à Primavera! Simone Medeiros

Patrono: Paulo Leminski
Acadêmica: Simone Medeiros
Cadeira: 25
22 de Setembro: Início da Primavera

MEU IPÊ PREFERIDO

Uma imagem inebriante
Um tom amarelo extasiante
Colorindo todo o cerrado goiano
Chão abençoado, Ipê veterano

Tuas flores amarelas são belas
Despontam nos vales, sua coloração
Pintam os artistas em suas aquarelas
Em tons amarelados a beleza deste chão

Meu Ipê preferido, amarelas são suas flores
Reservas no íntimo, tuas querências, teus amores
Cerrado dos Ipês floridos c' tua nudez sem pudores
Vestindo-se glamourosamente com as suas cores

E quando chega a primavera, é o Ipê, o meu preferido!
Por você, admiração e respeito o tenho pela sutileza
Demoras modestamente, escondendo-te a natureza
Tuas folhas caiem, para então, mostrar-se belo e florido!

(Simone Medeiros)

(Foto: Ipê amarelo-cascudo)

Em Comemoração à Primavera! Maurício Duarte

Patrono : Paulo Coelho.
Acadêmico : Mauricio Duarte.
Cadeira : 18
22 de setembro : Início da Primavera!

Para comemorar a abertura da Primavera pela AVL (Academia Virtual de Letras) da qual faço parte, com muito orgulho, posto um canto de Rumi sobre a estação das flores.
“Há uma passagem breve da alma ao coração
Saí para buscá-la e fui bater-lhe à porta.
Agora sei em que consiste a primavera.
Meu coração é água, refletindo a lua.”

Rumi

(Trecho do livro O Canto da Unidade: Em torno da poética de Rumi de Marco Lucchesi e Faustino Teixeira – Editora Fissus – 2007 – Rio de Janeiro – RJ)
(Observação: A Unesco consagrou 2007, o ano de Rumi por ocasião da data de oitocentos anos desde o seu nascimento.)



Em Comemoração à Primavera! Maria João de Sousa

Patrono: ManuelMaria Barbosa du Bocage
Académica: Maria João Brito de Sousa
Cadeira: 06.
22 de setembro : Início da Primavera!

PRIMAVERA

Vestiu-se o céu de azul sobre a cidade
Exausta do cinzento que fazia,
Prenchendo de cor e claridade
A vida oculta que em si mesma havia…
Nasciam flores da pura insaciedade
Do tal ciclo solar que se oferecia
Uma vez mais, cantando a liberdade
De recriar-se em luz, todo utopia…
Sob este azul que agora veste o céu,
Tentando interpretá-lo, estarei eu
Que nada sei dizer do que não sinto…
(perdoem se vos falo do que é meu;
por mais que eu queira o céu, ninguém mo deu,
e eu, de meu, só tenho o que aqui pinto…)
Maria João Brito de Sousa

Em Comemoração à Primavera! Luiza Senis

Patrono : Vinicius de Moraes
Acadêmica : Luiza Senis
Cadeira 33
22/09/ inicia se a Primavera.
Bom dia hoje inicia -se
a mais perfumada das
estações.
Viva a primavera.

Encanto.

Logo ao acordar senti
o perfume das flores, os
pássaros em festa
É Primavera.
O céu de um azul sem igual.
O sol se levantou bem cedo
para recepcionar a estação
mais perfumada, vamos nos
deixar envolver por este clima
primaveril e sonhar ... É tempo
de amar.
Luíza Senis.



Em Comemoração à Primavera! Kainha Brito

Patrono: J. G. De Araujo Jorge
Acadêmica: Maria S. P. Silva - Poetisa Kainha Brito
Cadeira: 14

22 De Setembro Inicio da Primavera!

Que alegria, que linda estação
Vestindo os campos de primavera
Minha alma se enche de emoção
Nessa estação de sonho e quimera
É prosperidade em frutos e flores
Nos campos, primaveris desfilando
Animais, pássaros, lançam fragores
Todos felizes suas musicas entoando
São lindas, rosas ao vento sorrindo
São flores adornando nossos campos
A primavera é a estação do carinho
Cobrindo-nos com seu florido manto
A flor exala o seu perfume juvenil
O vento esparge o perfume pelo ar
Dançamos todos, a valsa primaveril
Cheios de alegria vamos juntos festejar
Kainha Brito
Direitos Autorais Preservados

Em Comemoração à Primavera! José Leite Guerra

Patrono : Manoel de Barros.
Acadêmico : José Leite Guerra.
Cadeira : 05

22 de setembro : Início da primavera!

escolha
(José Leite Guerra)
em toda mão
cabe uma flor
flor-dimensão-
-de-mundo-inteiro
peso menor
que de canhão
por que não flor?
------------
florino
(José Leite Guerra)
flor resta
flor reta
florete
flagrar
a floresta
flor rente
no flanco
fazê-la flor rir
florente falange
floresta
(FLOR RESTA)
(Em homenagem à Primavera
do meu primeiro livro de poemas "O CIRCO' (1967)

Em Comemoração à Primavera! Rita Helena Neves

Patrono: Olavo Bilac
Acadêmica: Rita Helena Neves
Cadeira: 12

Estamos em festa!
É Primavera!
Flor, cor, encanto...
Em cada semente,
Um botão!
A chuva fina brilha com a luz do Sol ,
Alimenta, desabrochando no chão da terra,
Faz nascer as rosas, margaridas, bromélias, enfim...
As flores mais perfumadas do meu jardim!
É Primavera!
Estamos em festa!
Estação de delicadezas nos corações da gente:
Gestos, pensamentos, sentimentos, beija-flores...
Toda forma de sutileza
Recebe a Primavera e sua beleza
De braços e corações abertos
Colorindo as emoções em multicor
Abrandando a mágoa e a dor
Transformando tudo em pureza e amor
É Primavera!
Estamos em festa!
Foi assim e sempre será.
Nos campos, nas matas, nos lares..
É a Primavera mostrando a que veio
Na sua Beleza, haja o que houver:
Um milagre da Criação!

Rita Helena Neves

Em Comemoração à Primavera! Everaldo Lisboa

Patronesse : Martha Medeiros
Acadêmico : Everaldo Lisboa
Cadeira 12
22 de setembro : Início da Primavera.

A dança da primavera.

Com passos marcados
Cheio de alegria, sou eu
reverenciando a poesia.
No contra tempo da dança
das flores, me pego sorrindo.
Com tantas flores se abrindo.
O sol veio reverênciar a estação
primaveril , fui junto ... Não
poderia perder.
Eis que vi você chegando.
Eu vejo flores em você ...



Em Comemoração à Primavera! Ana Cristina da Costa

Patronesse: Ana Cristina Cesar
Acadêmica: Ana Cristina da Costa
Cadeira: 23
22 de setembro : Início da Primavera.
Em comemoração à Primavera

Se eu fosse,

Como eu queria ser céu
Para abarcar as estrelas que iluminam os seus olhos
Como eu queria ser terra
Para sustentar os seus passos e suas correrias,
Como eu queria se ar
Para arrancar-lhe o calor e lhe deixar respirar
Como eu queria ser chuva
Para molhar os seus pés e seu corpo em dias de caminhar
Como eu queria ser a sua voz
Para que quando abrisse a boca, dissesse que me ama
Como eu queria ser um jardim
Para que quando chegasse a primavera, eu me fizesse de todas as flores e lhe enfeitasse o caminho, o centro da mesa, o seu banho, o seu caminhar, a mesa do seu escritório, seus cabelos em tiara, eu seria também todos os pássaros a sobrevoar-lhe a cabeça e dançaria contigo, na chuva, na sombra, em qualquer parte ao luar,
Como eu queria ser este vestido que veste enfeitado de rosas vermelhas.
Ana Cristina da Costa.



Em Comemoração à Primavera! Emília Guerra

Patrono : Ariano Suassuna.
Acadêmica : Emilia Guerra.
Cadeira : 04
22 de setembro : Início das Primavera!

Espelho Poético

O mar acolhe a Primavera.
Com ondas abundantes
pensando ser flores. (Emília Guerra)

Em Comemoração à Primavera! Edi Almeida

Patrono: Manuel Bandeira
Acadêmica: Edi Almeida
Cadeira: 11
22 de setembro : Início da Primavera

Das flores

que enfeitaram os meus amores
desde o nascimento
nos aniversários
nos casamentos
nos encontros
nos reencontros
e nas despedidas
nas chegadas
e nas partidas
nas festas
sempre espalhadas
realçando o amor
com suas cores
perfumando com seus odores
todas belas
mas a mais bela
para mim sempre foi ela
a rosa
rosa branca
amarela
vermelha
cor de rosa
rosa colorida
rosa cheirosa
rosa que foi desfolhada
amassada
deixada secar
sem água
no abandono
esquecida em uma página
murcha e despedaçando
igual á minha história
já que um dia fui rosa
hoje sou tao somente
uma flor jogada fora
já não sou mais viçosa
já não valho mais nada

Edi A./ Direitos preservados

Em Comemoração à Primavera! Davyd Vinicius

Patrono: e. e. cummings.
Acadêmico: Davyd Vinicius.
Cadeira: 01.
22 de setembro : Início da Primavera.

Bem-vinda Primavera

Abra a porta,
Deixe o Sol entrar;
As cores falam mais alto agora,
A luz realça o enfeitar.
Faz do teu peito um jardim
Desabrochando a vida, o amor e o sonhar.
Novas sensações,
De um novo florescer,
Deixe a primavera chegar,
Deixe ela te dizer
O quanto é bom poder acreditar,
O quão belo é o amanhecer.

Davyd Vinicius



Em Comemoração à Primavera! Cleusa Melo

Patrono: Renato Russo.
Acadêmica: Cleusa Melo.
Cadeira: 26

22 de setembro : Início da Primavera.

PRIMAVERA!
Sou a sua primavera
Sua flor preferida
Colorida e perfumada
Às vezes sou rosa
Outras vezes orquídea
Sou a flor que você quiser.
Ficaremos juntos a partir de hoje
Até vinte e um de dezembro.
Faço a natureza ficar linda,
A mais florida do ano.
Faço chover sua noite
Tornando-se gostosa, fresca,
Durante o dia sou seu calor
E assim vamos vivendo
Eu lhe trazendo alegria
E você me admirando
Com muito amor.

Autoria: Cleusa Melo - Mell

Em Comemoração à Primavera! José Manuel Cabrita

Patrono : Antero de Quental.
Acadêmico : José Manuel Cabrita Neves.
Cadeira : 07

PRIMAVERA

É Primavera, as águas esverdeadas,
Vão correndo entre as pedras e as flores;
Num conjunto de tons multicolores,
Vemos as telas inda não pintadas…

As margens são carpetes trabalhadas,
Com árvores, os palcos dos cantores,
Que as mágoas, alegrias e amores,
Vão cantando nas suas chilreadas!...

Tudo o mais que se avista, é a verdura,
Que fica para além das verdes águas,
Que apetece tocar, qual seda pura…

Voa pelo olhar meu pensamento
E enquanto me alheio das minhas mágoas,
A Primavera brinca com o vento!...

José Manuel Cabrita Neves

Em Comemoração à Primavera! Antonio Jorge

Patrono: Chico Buarque de Hollanda.
Acadêmico: Antonio Jorge dos Santos.
Cadeira: 28

22 De setembro: inicio da Primavera!

Nossas primaveras...
A tarde chega, vejo só metade do sol
À outra parte dele já se escondeu.
Vejo o céu lindo cor-de-rosa
Anunciando que breve será primavera.
Em meu peito uma tristeza
De uma solidão que me maltrata
São saudades de você,
De ouvir suas lindas palavras de carinho.
Tenho certeza que essa tristeza se vá
Como o inverno também já esta acabando.
Sinto o aroma de flores no ar
Ou será sonho de nossas primaveras juntos?
Tenho certeza que minha tristeza acabará
Com sua chegada em minha vida.
Você sempre foi tudo para o meu coração
Sendo primavera ou gélido inverno.
Esperando por você aqui estou
Junto de nossas doces recordações.
Vem para mim, minha amada
Para minha tristeza acabar.
Nossas lindas primaveras relembrar...

________Antonio J Santos
22/09/16

Em Comemoração à Primavera! Andreiihya Marhyá

Patrono :Jorge de Lima
Acadêmica :Andreiihya Marhyá
Cadeira :30
22 de setembro : Início da primavera!

ÁS ROSAS DO MEU CORAÇÃO

Tão belas quanto a ti,não existem....
Sua beleza esplendorosa
Me deslumbrou..

Vivo á perseguir seu
Odor que exala..
Paixão..

Os enamorados te buscam,
Em forma de perfeição
De seus amores...

Representas o simbolismo
Mais significativa
De amar...

Vieste de uma natureza
Surreal...onde cada,
Amanhecer trazes um
Orvalho..enlouquecedor!

Rainha..entre todas,
Seu reino é absoluto,
Meu coração..
É um escravo
Dos teus domínios...

Fui aprisionada..
Minha alma..é sua eterna
Simbologia...

Nesses emaranhados
De sentimentos
Me perco...
E nessas buscas
Insanas,me torno
Um poeta..desbravador
De emoções
Rebuscantes...por ti,
Rosas do meu coração
(Poema,autoria,Andreiihya Marhya)



Em Comemoração à Primavera! Ana Sofia.

Patrono : Florbela Espanca
Acadêmica : Ana Sofia Carvalho
Cadeira : 31

EQUINÓCIO

Hoje serão iguais a noite e o dia
O mundo acordou com o equinócio
No norte estamos de volta ao trabalho
No sul estão de volta os tempos d' ócio !

Ao meu país chegou hoje o Outono
Que sempre vem com melancolia
Mas às terras fraternas além mar
Chegou a Primavera e a alegria !

Aqui as folhas já caem no chão
E os dias já são bem mais pequenos
Além-mar brotam flores em profusão
E o calor torna os dias mais serenos !

Tudo perfeito no nosso planeta
Nesta pressuposta antinomia
Uns disseram adeus ao Inverno
Outros recebem-no com nostalgia!

ASC © - reservados todos os direitos
Set/2015 (revisto)

Foto: equinócio 2015, pôr-do-sol, por Gianluca Lombardi, partilhado do Google

Em Comemoração à Primavera! Ana Carvalhosa.

Patronesse : Natália Correia.
Acadêmica : Ana Carvalhosa.
Cadeira : 32
PRIMAVERA/OUTONO

Enfeitadas e coloridas
São monções de cores queridas
Quentes e estonteantes
Abrem-se de par em par
As janelas tal como dantes
Para deixar entrar...
O mais estimado ar!
Ainda no rescaldo de outro terminado
Entreabertas e tímidas são as janelas
Que abraçam Primaveras
Como encontros Outonais
Em hemisférios irmãos e iguais
Tão azuis aqui como em outros locais
Sobre a mesma abóbada
O chão que se renova
Por ciclos mais...
Equinócios e Solstícios
Ócios e princípios
Como nossas letras são...
Nossas estações e vícios.
©ana'Carvalhosa ~ 22.09.16
foto by©Lourinho vieira


domingo, 4 de setembro de 2016

TERCEIRO LUGAR APOGEU MODERNO TEMA NATUREZA- EMÍLIA GUERRA


TERCEIRO LUGAR APOGEU MODERNO TEMA NATUREZA- CLER RUWER


SEGUNDO LUGAR APOGEU MODERNO TEMA NATUREZA- JOSE LEITE GUERRA


SEGUNDO LUGAR APOGEU MODERNO TEMA NATUREZA- HUDSON RIBEIRO


SEGUNDO LUGAR APOGEU MODERNO TEMA NATUREZA- ANA CRISTINA DA COSTA


PRIMEIRO LUGAR APOGEU MODERNO TEMA NATUREZA- SIMONE MOISÉS


TERCEIRO LUGAR APOGEU CLÁSSICO TEMA NATUREZA- JOSÉ MANUEL CABRITA


PRIMEIRO LUGAR APOGEU CLÁSSICO TEMA NATUREZA- MARIA JOÃO DE SOUSA


SEGUNDO LUGAR APOGEU CLÁSSICO TEMA NATUREZA- LUIZÃO BERNARDO


PRIMEIRO LUGAR APOGEU CLÁSSICO TEMA NATUREZA- JOÃO URAGUE FILHO


APOGEU POÉTICO MODERNO - TEMA NATUREZA – ELISABETE DECOLÓ

Patrono: Alvares de Azevedo.
Acadêmica:Elisabete Decoló.
(membro honorário).
Apogeu Poético - . Moderno
Tema. Natureza..

Natureza.

Natureza, mãe divina,
Resplandece energia.
Tem tudo que precisamos,
Para viver em Harmonia.

Natureza é criação,
Explosão do Criador.
Esplendor de beleza,
Onde tudo tem vigor.

O maior fenômeno acontece,
Nas quatro estações do ano.
Primavera, verão e outono,
O inverno se fechando.

Natureza quatro elementos,
Essenciais para conviver.
Água, ar, terra e fogo,
Precisamos para sobreviver.

Opostos, dois a dois,
Água fria e úmida.
Versus fogo quente, e seco
Unidos estão sem dúvida.

Ar quente e úmido,
Terra fria e seca, em movimento.
Tão necessário a Natureza,
Como os outros, elementos.

Natureza Mãe sagrada,
Respeitada dever ser.
Para nossa sobrevivência,
Cuidada por merecer.

Tudo se transforma,
Na natureza tão bela.
Tudo nela se cria,
Da forma mais singela.

O ar que respiramos,
É o fôlego da vida.
Tudo com a natureza,
Nossa vida é dividida.

Vamos conserva-la, e bem,
Cuidando com muito carinho.
Ficará para as próximas gerações,
Com certeza, um belo caminho.

Mas para isso é preciso,
Ter exemplo e condição.
Para os que aqui ficarem,
Dar sempre continuação.

Zabele Rosa.
12/08/2016.

APOGEU POÉTICO MODERNO - TEMA NATUREZA – SIMONE MOISÉS

Patronesse: Clarice Lispector
Acadêmica: Simone Moises
Cadeira: 10
Apogeu Poético- Moderno
Tema : Natureza

E░R░A░
░I░N░V░E░R░N░O
░M░A░S░
░D░E░N░T░R░O
░D░E░L░A░
░H░A░V░I░A░
░S░O░L░

A sensação era diferente agora
A natureza a contemplar
E o alvorecer da aurora.

Lá fora chovia
Mas, pingos de chuvas,
Transformavam-se em poesias.

Lá fora escurecia
Mas dentro dela
Brilhava sempre a luz
De um lindo dia.

Era inverno, fazia frio
Mas dentro dela transbordava
Um imenso e límpido rio.

A noite era escura e sombria
E o belo sol encobria,
Mas ela enxugava o pranto
Abria a janela e os raios a invadia.

La fora tempestades, raios e trovões.
Mas dentro dela permanecia
Forte um eu lírico de emoções.

Era inverno naquele dia
Mas dentro dela havia um sol
Que aquece e contagia.

Lá fora avassaladora era a ventania
Lápis papel na Mao
E o encanto da magia.

Era inverno, mas dentro dela havia sol
Porque percebeu que para haver
Luz que ilumina, resplandecência e calor
Era necessário haver primeiramente o AMOR.

░S░I░M░O░N░E░✰
░M░O░I░S░E░S░✰

16/08/2016


APOGEU POÉTICO MODERNO - TEMA NATUREZA – SIMONE MEDEIROS

Patrono: Paulo Leminski
Acadêmica: Simone Medeiros
Cadeira: 25
Apogeu Poético - Moderno
Tema : Natureza

NATUREZA EM FLOR

Tal qual a flor em extinção
O amor é chave do coração
Salvadora dos aflitos
Retentora dos conflitos
Dissolve na humanidade o ódio
Colocando o amor no peito, no pódio

Propagador da chama caridade
Distorce a mentira em real verdade
De natureza genuína, aroma flor
Perfumando passos retidos na dor
Há quem dela natureza existe
Nos versos brandos, o amor consiste

Descreve-lo nas letras tua essência
É desafiar ao mundo sua real ciência
Mundos e mentes diferentes existem
Provam do gosto amargo e insistem
Acreditar que leis assim são o certo
A morte por eles criando futuro incerto

Só o Grandioso Criador das criaturas
Tem o poder mágico das escrituras
Não pode o homem ser dono da verdade
Pode ele ser seguidor da humildade
Pondo no coração a fertilidade do amor
Não destruindo-lhe a natureza tal qual a flor

(Simone Medeiros)



APOGEU POÉTICO MODERNO - TEMA NATUREZA – MAURÍCIO DUARTE

Patrono: Paulo Coelho
Acadêmico: Mauricio Duarte
Cadeira: 18
Apogeu Poético - Moderno
Tema: Natureza

A natureza da poesia

O poema é como um esplendoroso
Amanhecer: pode brilhar muito,
Mas não é tão forte e tão poderoso
Quanto o meio dia e, em tal fortuito
Esquecimento, nos dá alegria...

O poema é como o nascimento
Encerra em si mesmo potência
Máxima de todo o seu momento,
Em uma tal vontade, sem carência,
Que é luz, mil raios, extasia...

O poema é como uma floresta,
Todas as suas espécies tem seu valor:
Se uma só perecer, cai, nada resta;
E é assim porque foi feita com amor
Pelo Criador que tanto bem queria...

O poema é como uma onda alta,
Vai bem acima, mas no fim tem
Que descer, trazer do mar a malta
Dos marulhos na areia, porém quem
Diria ser, sim, menos do que poesia...?

Mauricio Duarte (Divyam Anuragi)

APOGEU POÉTICO CLÁSSICO - TEMA NATUREZA – MARIA JOÃO

Patrono: Manuel Maria Barbosa du Bocage
Académica: Maria João Brito de Sousa
Cadeira: 06
Apogeu Poético - Clássico
Tema : Natureza

NATURA

Natura, minha Mãe, se sei cantar-te,
De ti me veio a força, o sopro humano
E este engenho que teima em dedicar-te
Cada alegria e cada desengano...

Se ainda sei, Natura, que negar-te,
Seria ir-me perdendo em rumo insano,
Assim continuarei fazendo Arte
Do muito que me deste, ano após ano!

Somei-lhe, é certo, indómita, a vontade,
Um trabalho sem fim, um risco, um preço
E a minha própria escolha que, em verdade,

Foi livre, tanto quanto o reconheço...
Mas sendo eu tua filha, ó Grande Madre,
Como não ser-te igual, desde o começo?

Maria João Brito de Sousa - 12.08.2016 - 12.22h.

APOGEU POÉTICO CLÁSSICO - TEMA NATUREZA – LUIZÃO BERNARDO

Patrono : Rubem Alves.
Acadêmico : Luizão Bernardo.
Cadeira : 29
Apogeu Poético - Clássico -
Tema : Natureza

Naturalmente

No mundo há algo que me alucina
Quão belo se apresenta a criação
Ver o fogo a correr morro acima
Ou a água passeando no chão

Eu gravarei em minha retina
A natureza explode em emoção
Seja na beleza dessa chuva fina
Talvez no ronco forte de um trovão

Água caindo de cascata cristalina
Ou flor que nasce rasteira no chão
Em tudo isto se vê a mão divina

E ao homem sobra a admiração
No seu rosto um sorriso se ilumina
Deus a tudo criou com perfeição

Luiz Bernardo / Seropédica - RJ

APOGEU POÉTICO MODERNO - TEMA NATUREZA – LUIZA SENIS

Patrono : Manuel Bandeira
Acadêmica : Luiza Senis
Cadeira 33.
Apogeu Poético - Moderno .

Tema : Natureza.

Por entre palavras que aos
poucos se farão poesia
Quero falar da natureza
Quão bela a nós se apresenta

Tão diversificada por entre
matizes que aos olhos
encantamento trás, quero
dizer ainda algo mais

Para quem tem olhos de ver
Contemplará maravilhas que
a natureza nos presenteia noite
de lua cheia chuvinha miúda

Flores que são obra prima
Cujo criador está presente
a cada momento nos fazendo
Criaturas agradecidas

Portadores de sensibilidade
e inteligência quero deixar
registrado ... Natureza somos
nós também
Fazemos parte de todo este
contexto da criação Divinal

Árvores frondosas pássaros
peixes mares e rios de águas
límpidas a nos fazer reflexionar
Somos também borboletas ...

Nos transformando a cada
momento e neste refazimento
Termos a certeza que somos
parte integrante desta natureza
mutante.

Luizaluzsenis Senis

APOGEU POÉTICO MODERNO - TEMA NATUREZA – KAINHA BRITO


Patrono: J. G. de Araújo Jorge
Acadêmica: Maria S. P. silva - Poetisa Kainha Brito
Cadeira 14
Apogeu Poético - Moderno
Tema :Natureza

Peço que a humanidade aprenda a respeitar a natureza, como sua casa, sua vida.
Que a terra se salve das mãos do homem sem freios em sua ganância e ignominia.
Que tenham compaixão da terra que hoje calcinada segue lutando para se refazer
Vejam que a terra está completamente desequilibrada, tocaram em seus limites,
E o seu choro, se ouve pelas suas matas em chamas, no clamor dos seus animais,
Encurralados pela queimada cruel vão fugindo às pressas do seu habitat natural,
Então se ouve seu gemido brotar do seu solo, agora exaurido pela fúria inumana.
Pela extração irresponsável e excessiva, dos seus minérios e ouve-se seu lamento,
Na voz dessa massa, que já não suporta mais tanta degradação do meio ambiente,
Enfim, plangemos todos nós, por essa causa que nos toca a alma profundamente.
Apesar da erosão da biodiversidade, da extinção de várias espécies, das queimadas,
Do desmatamento e poluição, a terra ainda serve seus filhos com recursos naturais.
E os prestigia com suas belezas encantadoras e pintadas a mão pelo próprio criador.
E como é sublime sentir a natureza em todo seu esplendor repleto de poesia viva
Ouvir os seus acordes, magistrais, desde o chiar das folhas em seus galhos
bailando do vento,
Emitindo sons divinamente suaves e profundos, ao arrulhar das águas em suas nascentes,
Ver o pássaro feliz a cantar, sobre o galho onde acabara de pousar na volta ao ninho.
A primavera regressar novamente para florir a terra e também aos nossos corações,
A chuva amanhando o solo e entoando em nosso telhado uma suave canção de ninar.
Podemos contemplar ainda o belo entardecer, deixando seus rastros de cores nítidas.
E rubras pelo céu em infinita ternura, o olhar meigo e sereno do luar, mitigando a terra.
Podemos ver uma apoteose se desenhar num lindo céu azul de um brando alvorecer
Enfim, são imensuráveis belezas naturais, ao nosso dispor em cada ponto cardeal.
Que se fine já esse sistema cruel, de exploração desumana com sua cultura enferma.
E a terra um dia possa viver em sua plenitude bendita e finalmente respirar em paz

Kainha Brito.
Direitos Autorais Preservados



APOGEU POÉTICO MODERNO - TEMA NATUREZA – JOSÉ LEITE GUERRA

Patrono: Manoel de Barros
Acadêmico: José Leite Guerra
Cadeira: 05.
Apogeu Poético - Moderno 


Natureza 


Compasso de líquidos
E pétreos em harmonia
A natureza em ciclos
Faz sorrir as flores
Balançarem folhas
E nascerem filhos
De humanos seres 


Espalha os saberes
No Universo ativo
Imprime seu crivo
Detona e recria
Incessante livro
Enciclopédia
Em astros e estrelas
Luminosa escrita 


Mistério de matéria
Gases e atmosfera
Estações bem frias
Climas torrificantes
Noites tardes dias
Globos e errantes
Riscos de esferas
Cometas rabos de luz
Solares e satélites
Luas além da Terra 


Natureza que guarda
Em latente poesia
Incógnitas e teoremas
Jamais solucionados
Sempre posta em apogeu
Em seus fortes dilemas
Marca de evoluções
Cujo início se chama Deus
Que sendo silente, mudo
Fala e desfaz o Nada
Criando a voz do Tudo.

APOGEU POÉTICO MODERNO - TEMA NATUREZA – JOSÉ ADÃO RIBEIRO

Patrono: Machado de Assis
Acadêmico: José adão Ribeiro
Cadeira: 03 -
Apogeu Poético - Moderno
Tema Natureza

NATUREZA MÃE
Tudo é natureza quando a vida faz parte
Preserva- la sempre é obrigação.
Dos seres racionais com emoção
Sem medir sacrifício e a gratidão

Natureza mãe de todos
Cada uma com seu seguimento
Natureza além de tudo
É sobre tudo poesias inspirações

Que a usamos quando poetamos
O que nosso sentir pede
Natureza linda mãe
Que não escolhe filhos

Nos faz companhia até mesmo em sonhos
Neste atual mundo cruel
Que a ganância destrói
A todo instante esta nossa fonte de vida

Temos que cuidar desta
Mãe natureza valorosa
Linda em toda extensão
Que merece nossa proteção

AUTOR: José Adão Ribeiro.


APOGEU POÉTICO CLÁSSICO - TEMA NATUREZA – JOÃO URAGUE

Patrono: Fernando Pessoa
Acadêmico: João Urague Filho
Cadeira: 02
APOGEU POÉTICO - (Clássico)
Tema: NATUREZA

Qual animal ferido o Sol se esconde
Entre cortinas da tarde que esmaece,
Lá onde o claro do dia ainda responde
Ao chamado das sombras que anoitece.

Todo arrebol se enfeita e resplandece
Nos ninhos que soluçam pelas frondes,
Um ou outro vaga-lume que se esquece
Se acende ou não acende a tocha aonde!

As estrelas vão luzindo uma a uma,
Na noite que segue e o dia que demora,
No abraço que se dão no ar as brumas;

Finalmente faz-se noite agora . . .
No Sol que já se foi sem pressa alguma,
Enquanto a Lua argêntea comemora!

João Urague Filho

APOGEU POÉTICO MODERNO - TEMA NATUREZA – JOANA TIEMANN GABE

Patrono: Pablo Neruda
Acadêmica: Joana Tiemann gabe
Cadeira: 35
Apogeu poético- Moderno
Tema: Natureza

A NATUREZA PEDE SOCORRO

A humanidade
Grande malfeitora da natureza
Mãos que alastram a destruição
Corações sem reciclagem...

O capitalismo truculento pede passagem!

Diante da omissão e das falácias:
árvores são cortadas
rios poluídos
animais entram em extinção
habitat naturais totalmente destruídos.
A esperança sendo enterrada sob uma chuva ácida.

Oh natureza
que tanta beleza nos dá
quero acreditar que não é utopia lutar pela preservação
e que sementes da racionalidade
possam, num futuro breve,
novamente em teu chão brotar.

Joana Tiemann Gabe

APOGEU POÉTICO MODERNO - TEMA NATUREZA – HUDSON RIBEIRO

Patrono: Walt Whitman.
Acadêmico: Hudson Ribeiro.
Cadeira: 19.
Apogeu Poético - Moderno
Tema : Natureza

Quatro elementos originários
São os pais e filhos diletos da natureza
Todas as manifestações originárias
Apresentam-se irmanadas com a beleza
O que fortalece a certeza
Na fé que remove montanhas:
A água com sua maleabilidade
Não resiste e se torna a mais poderosa
Como a força oriunda da pobreza.
A terra ventre fértil de tudo que encerra
Mesmo sangrando abundantemente
Com as inúmeras guerras
Ainda gira exata gerando as estações
Inclusa a bela primavera
O ar mesmo poluído ainda nos inspira
A cometer uma prosa, um poema
Ou a ameaçar a confissão inconfessável
Em um ato de ousadia
Eis o ar metamorfoseando-se em brisa leve
Vento breve, vendaval e furacão
E o fogo em sua luminosidade fascinante
Purifica sem remorsos
Tudo o que há para se purificar
É a natureza presente
Sendo fruto e semente
Dos elementos originários.

APOGEU POÉTICO MODERNO - TEMA NATUREZA – FRANCYO DIAS

Patrono: Nelson Rodrigues
Acadêmico: Francyo Dias
Cadeira 34
Apogeu Poético - Moderno
Tema : Natureza

A NATUREZA

Naturalmente
Eu sempre me vejo de olhos fechados
Tentando entender a essência da vida
A natureza de tudo
Da beleza prateada do plenilúnio
Do faiscar do ouro no raiar do sol
E da impetuosidade da ventania
Admirando tudo, encantado
Naturalmente

Eu me pergunto: porque?
O verde vai se diluindo em cinzas
As águas se turvando, poluindo-se
O ar vai se solidificando em partículas
E o nosso ambiente, fica meio...
Meio sujo...
Meio limpo...
Ou completamente indefeso
Quando barragens se rompem
Afogando rios, envenenando o mar
Eu me pergunto: porquê

É da natureza humana
Destruir para construir
Extinguir para recriar
Desfazer para refazer
Ser assim, um semideus
Sem Deus, nem dogma
Essa insatisfação inata
É da natureza humana

Viva a natureza
Faço desse meu grito uma obra de arte
Afinal o que mais importa?
Se a vida parece mais bela
Sendo superficial
Abstendo-se do natural
Sei que um dia a humanidade
Ainda exporá em uma tela
Este planeta sem vida
Sob o título “Natureza Morta”
E algum idiota aplaudirá e gritará
Ao apagar do sol, no Armageddon
Viva a natureza.

APOGEU POÉTICO MODERNO - TEMA NATUREZA – ANA CRISTINA DA COSTA

Patronesse: Adélia Prado
Acadêmica: Ana Cristina
Cadeira: 23
Apogeu Poético - Moderno.
Tema : Natureza

Era uma semente,

Apenas uma semente
Que fazia às vezes de último alento
O solo quebrado e cinzento
Arreganhava os beiços sedentos
O castigo do sol ardendo
Na pele craquelada ao vento
Os pés abundantes em calos
As mãos vazias de pão
A barriga minguada de vento e couro
Afinava de vontade e pranto o dolo
A lembrança lembrava de comida na mesa
Não chove,
Não chovia
Nem ao menos a cotovia
Sobrevoa por ali
Era um deserto uma desgrama enorme
O sertão não virou mar
Virou coisa feia de falar
Era uma semente,
Carregada pela mão suada
O olhar esperava já via nela o fruto
Já via nela a sombra, o arbusto
Era só uma esperança carregada
Era o pensamento uma tristeza
Era a própria natureza.
Ana Cristina da Costa.


APOGEU POÉTICO MODERNO - TEMA NATUREZA – EMILIA GUERRA

Patrono : Ariano Suassuna
Acadêmica : Emília Guerra
Cadeira : 04
Apogeu Poético - Moderno -
Tema : Natureza

Por cada gota de sangue
na seiva da selva da emoção
nos rios da terra que sangram
nas batidas do meu coração...

Por toda vigência da natureza
toda vida em alerta por Ela!

Na trajetória das ondas revoltas
na intranquilidade do oceano
chorando e pedindo socorro.

Na brabeza da fumaça sufocante
pelo desacato das queimadas
poluindo o mundo em disparada.

Venho em nome da Natureza
fazer meu manifesto com firmeza:

Salve todo o universo dos gestos
de atrocidades e desumanidade
a quem não joga lixo no lixo
sem o alcance do luxo da igualdade.

Quem vive uma vida vã e vazia
não aprende e nem ensina
não prepara a natureza
para o dia de amanhã.

Não pensa nas novas gerações
não enxerga e não ver o futuro
nem desfruta do agora saudável
produz mazelas para todo mundo.

O caso da desfeita: a Natureza
reluta, padece, chora e rejeita
no rito angustiante das eras

No legado recebido ausente
bem ao nosso enxergar
sentimos toda carência
do que a natureza perdeu
e não mais pode nos contemplar.



APOGEU POÉTICO MODERNO - TEMA NATUREZA – CLER RUWER

Patrono : Joaquim Moncks
Acadêmica : Cler Ruvver.
Cadeira :
Apogeu Poético - Moderno
Tema : Natureza.

NATUREZA
Cler Ruwer

Quando um dia distraído,
Olhar as nuvens no céu.
Misturadas à fumaça,
Que a beleza embaça,
Com queimadas – fogaréu.

Se olhar para o alto,
Verá aves revoarem.
Junto, um pombo-correio...
Mas a cartinha não veio,
Pra natureza salvarem.

Em meio às invenções,
O homem criou a guerra.
Criou armas de hidrogênio,
Considerou-se um gênio,
Julgou-se dono da terra.

E foi enfeitando tudo,
Numa esfera colorida.
Formaram-se grandes centros,
Surgiram novos inventos,
Sem pensar na própria vida.

Criou carros, criou bondes;
Fábricas e até o avião.
Foi criando, inventando,
E hoje está sufocando;
Em meio à poluição.

Com a camada de ozônio,
Hoje vive preocupado.
Raios ultravioletas,
Vêm chegando de lambreta,
Não estava programado.

E com a evolução,
Surgiram as novas pragas.
Atacam planta e semente,
Provérbio de antigamente:
“Aqui se faz, aqui se paga”.

Montou-se uma corrida,
Para salvar plantações.
Criou-se o inseticida,
Que ameaça a vida:
Das nascentes, das nações.

Fazendo tantas loucuras,
Tentando brincar de Deus.
O homem já está clonando,
Criando, reinventando,
Até mesmo os filhos seus.

Batiza como progresso,
As descobertas que faz.
Transformando os semelhantes,
Da terra, em homens errantes.
Mendigos buscando a paz..

APOGEU POÉTICO CLÁSSICO - TEMA NATUREZA – JOSÉ MANUEL CABRITA

Patrono: Antero de Quental
Académico: José Manuel Cabrita Neves
Cadeira: 07
Apogeu poético Clássico

A NATUREZA

Com olhos de poeta que ama a vida
E um louco mas sensível coração,
Fito as pedras imóveis pelo chão,
Que piso de alma terna e condoída…

Depois os animais, o gato e o cão!
A terra matizada e colorida
De plantas e de flores de côr garrida!
As nuvens, o relâmpago, o trovão!

Tudo me prende o olhar e me fascina,
Desde as fontes de água cristalina,
Até aos sentimentos de pureza!

A chuva, o sol, a lua, o frio, a neve,
Vão passando por mim, qual sonho breve,
Olhando a extasante Natureza!...

José Manuel Cabrita Neves
10-08-2016

APOGEU POÉTICO MODERNO - TEMA NATUREZA – ANTONIO MONTES

Patrono: Augusto dos Anjos
Acadêmico: Antonio Montes
Cadeira: 16
Apogeu Poético - Moderno
Tema : Natureza.

NOSSA ESFERA

O povo todavia, passa-te a grosa
e nunca ouve seu grito de clamor
hoje, desfalcada, toda melancólica
agoniza em fim, sua fúnebre dor.

Rios estão, poluídos e soterrados
com a destruição macabra do verde
ninguém dá lado ao seu eterno lado
e te enchem de divisas e paredes.

Jardins manipulados ao modernos
tudo genéticos cruzas e enxertos
n'essa forma, te custaram terno.

Natureza, tudo aqui esta moldado
e blá, blá blá, fazem ao seu valor
e a esfera morre, sem o seu amor.

-- --- --- - - - - - - - - - - - - - -

Antonio Montes 13/08/16