Homenagens e Cartões

Total de visualizações de página

domingo, 24 de janeiro de 2016

EVENTO : APOGEU POÉTICO - CLÁSSICO Tema : Esperança



EVENTO : APOGEU POÉTICO - CLÁSSICO
Tema : Esperança
Patrono: Vinicius de Moraes
Acadêmico: Djalma Pinheiro..
Cadeira : 13...


Minhas esperanças...

Somos o que somos, bem ou mal, temos que assumir o que somos, pois agindo na transparência de nosso intimo, mostramos o que somos.
Djalma Pinheiro.

Diz-se que a esperança é a ultima que morre, Será?
Nutria esperanças de que poderíamos viver bem e em paz
Nutria a esperança de que teríamos uma mudança.

Mudança de que?
O que mudou?
Como mudou?
E onde mudou?

Temos uma democracia frágil e ameaçada
Ameaça por forças que tentam nos levar ao abismo
Forças que manipulam um povo ordeiro
Com o agravante que estas forças são o que mais existe de mais odiosas
Pois são comandadas por mais corruptos que os corruptos do governo.

Ai fico assim pasmo, inerte
Mas como diz a letra da poesia cantada “Cordão” de Chico Buarque em resposta a ditadura:

“Ninguém
Ninguém vai me acorrentar
Enquanto eu puder cantar
Enquanto eu puder sorrir
Enquanto eu puder cantar
Alguém vai ter que me ouvir
Enquanto eu puder cantar
Enquanto eu puder seguir
Enquanto eu puder cantar
Enquanto eu puder sorrir
Enquanto eu puder cantar
Enquanto eu puder...”

Assim levo minha vida,
Cheio de esperanças,
Esperanças de dias melhores,
Esperanças de que mentes se abram,
Esperanças que me vejam como um ser humano comum
E o mais importante,
Esperanças que todos sejam respeitados...

Djalma Pinheiro
Faceboock: gabinanacomerv@gmail.com
Comunidade PAPO DE BOTEQUIM COM POESIAS E MPB:https://www.facebook.com/Papo-de-Botequim-com-poesias-e-…/…/
AVL – Academia Virtual de Letras – Cadeira: 13 – Patrono: Vinicius de Moraes
E-livros: Disponíveis gratuitamente em meu site.

EVENTO - APOGEU POÉTICO - MODERNO Tema : ESPERANÇA



EVENTO - APOGEU POÉTICO - MODERNO
Tema : ESPERANÇA
Patrono: Walt Whitman
Acadêmico: Hudson Ribeiro
Cadeira: 19


ESPERANÇA SEMPRE VIVA

Quando tudo fica nublado
E até o cantar do pássaro
Soa como tortura ignóbil
É ela que docemente nos embala

Em seus braços fartos e tenros
Lembrando-nos da promessa do eterno
De que um dia a tristeza terá fim.
Quando a noite cai abrupta

Tornando palpável todo terror
E a imaginação vã
Assombrasse-se sobressaltada
Temendo o tigre de papel

Conjugando viver com sofrer
É ela que nos nina com belos versos
E sublimes rimas
Que ressoam como cânticos milenares

Acalmando a fúria dos tempos.
Quando o exato momento
É ameaçado pelo visceral tormento
Do apocalipse chegado enfim

É ela que nos alerta
Para o além da meta
E que há muito ainda no porvir
Como sorriso de saudável criança

Eis a esperança que nos move e nos lança
Mesmo na noite mais fria
Fazendo das nossas peles
Aconchegante cobertor.

Hudson Ribeiro

EVENTO : APOGEU POÉTICO - MODERNO Tema : Esperança



EVENTO : APOGEU POÉTICO - MODERNO
Tema : Esperança
Patronesse : Florbela Espanca
Acadêmica : Ana Sofia Carvalho
Cadeira : 20


ESPERANÇA

Vai por esses montes fora e abraça o céu
Pega numa nuvem, põe-a ao ombro, e vem,
Beija esses raios de luz que te atravessam
E sorve o ar da montanha em que caminhas!
Mergulha depois nesse ribeiro de lágrimas
Onde os peixes nadam na água que não têm,
E dá-lhes em mil sorrisos o líquido da vida!
Após, fertiliza a terra desse chão que pisas
Com o húmus criado nos outonos da alma,
Bebe do verde clorofílico que te rodeia,
Sublima-te da seiva das árvores invisíveis,
E faz dessas pedras duras a tua estrada
Que em algodão transforma o frio granito!
Mistura enfim o azul, o castanho e o verde,
Junta-lhe uma pitada de cinzentos e brancos
E deixa que o teu espírito alado voe, livre,
Pleno de força e liberto de todos os prantos!

ASC ©

Foto de Zé Manél, "A leste da Indonésia" ©

( reservados todos os direitos)

EVENTO : APOGEU POÉTICO - CLÁSSICO Tema : Esperança Patrono ; Fernando Erica Beltrame Pessoa Acadêmico: João Urague Filho Cadeira: 02 A ESPERANÇA Duas portas: Uma dá para a esperança, Como astro que reluz na nossa frente; Finge que dá mas não dá a toda gente, E por mais que se lhe tenha não alcança. A porta da saudade é diferente, E corre como um rio muito mais mansa; Guardando seus achados na lembrança, Conforme se lhe tenham recorrentes. De uma porta para a outra corre a vida, Prensada nas volúpias do presente, Entre a dor e a delícia revivida; Quando uma porta bate simplesmente, Uma outra porta se abre prometida, Como um sonho adiado para sempre! João Urague https://www.facebook.com/AcademiaVirtualDeLetras/?fref=ts



EVENTO : APOGEU POÉTICO - CLÁSSICO
Tema : Esperança
Patrono ; Fernando Erica Beltrame Pessoa
Acadêmico: João Urague Filho
Cadeira: 02
A ESPERANÇA
Duas portas: Uma dá para a esperança,
Como astro que reluz na nossa frente;
Finge que dá mas não dá a toda gente,
E por mais que se lhe tenha não alcança.
A porta da saudade é diferente,
E corre como um rio muito mais mansa;
Guardando seus achados na lembrança,
Conforme se lhe tenham recorrentes.
De uma porta para a outra corre a vida,
Prensada nas volúpias do presente,
Entre a dor e a delícia revivida;
Quando uma porta bate simplesmente,
Uma outra porta se abre prometida,
Como um sonho adiado para sempre!
Patrono ; Fernando Erica Beltrame Pessoa
Acadêmico: João Urague Filho
Cadeira: 02


A ESPERANÇA

Duas portas: Uma dá para a esperança,
Como astro que reluz na nossa frente;
Finge que dá mas não dá a toda gente,
E por mais que se lhe tenha não alcança.

A porta da saudade é diferente,
E corre como um rio muito mais mansa;
Guardando seus achados na lembrança,
Conforme se lhe tenham recorrentes.

De uma porta para a outra corre a vida,
Prensada nas volúpias do presente,
Entre a dor e a delícia revivida;

Quando uma porta bate simplesmente,
Uma outra porta se abre prometida,
Como um sonho adiado para sempre!

João Urague

EVENTO : APOGEU POÉTICO - MODERNO Tema : Esperança



EVENTO : APOGEU POÉTICO - MODERNO
Tema : Esperança
Patrono : Jorge Amado.
Acadêmica : Maria Aparecida.
Cadeira : 28


Não vai existir razão pra prosseguir
se eu perder a esperança
ainda quero acreditar
inocente como criança
que as guerras vão acabar
que a miséria será extinta
que as pessoas vão se amar
e que o político não minta
e que não haverá mais racismo
que o mundo será de iguais
que amemos a natureza
e respeitamos os animais
que a paz reine na terra
entre todos os viventes
que o sorriso impere nos rostos
dessa gente que é gente
a esperança não morre
na vida do batalhador
a esperança e o bordão
que sustenta o amor...
'''''by: Cidinha Almeida''''''
'
– Cadeira: 28 –
Pagina do facebook: Poemas de amor

VENTO : APOGEU POÉTICO - CLÁSSICO Tema : Esperança



EVENTO : APOGEU POÉTICO - CLÁSSICO
Tema : Esperança
Patrono: Antero de Quental
Académico: José Manuel Cabrita Neves
Cadeira :07


ESPERANÇA

Como quem espera, olhando o horizonte,
Um novo dia feito de esplendor,
Assim a noite cai, junto ao sol-pôr,
Sem nada que a perturbe ou amedronte!

Há sempre um amanhã em cada alvor!
Há sempre água a correr em cada fonte!
Há sempre uma colina além do monte!
Há sempre no porvir, algo melhor…

Há um sonho constante em cada dia,
Que alimenta o futuro na magia,
Em q’ ansioso o coração balança…

Há uma força interior, estranha, profunda,
Que de estrelas e luzes nos inunda,
Que nos dá vida, alento, fé e esperança!...

José Manuel Cabrita Neves

EVENTO : APOGEU POÉTICO - MODERNO Tema : Esperança




EVENTO : APOGEU POÉTICO - MODERNO
Tema : Esperança
Patrono: Paulo Leminski
Acadêmica: Geilda Souza de Carvalho
Cadeira: 22


Enquanto houver um sopro de ar...
Em minha curta passagem pela vida,
Ampulheta querida, de um tempo.
Que permaneço na terra... Pequeno, findar-se-á!
Altiva e guerreira! Meu espírito sucumbirá.
Dos conselhos... Florestas em chama... Do homem que faz guerra!
Povo doente que morre em hospitais...
Adolescentes e crianças... Drogados...
Moradores de rua, sem comida, gente drogada!
Dos políticos... Corrupção! Da mulher maltratada
Sem teto, família... Sem nada! Crianças, fora, são jogadas...
Como ratos no lixo... Realiza-se a Esperança, sonho... Ou Pesadelo?
Dos políticos gananciosos que são notícias de jornais!
Talvez um dia... Escrevo em poesia! Realidade ou Utopia!
Exemplifico esperançosa, o futuro da criança...
No sopro do ar, ainda respiro. Uma geração melhor!
Esperança na areia do tempo, que cai de grão em grão...
No espaço perdido, sem amor... Irracional!
Do homem sem coração vai-se o tempo embora...
Ampulheta da Esperança... Torna-se fatal!

Geilda Souza de Carvalho

Evento: Apogeu Poético Classico - Tema Esperança




EVENTO : APOGEU POÉTICO - CLÁSSICO
Tema : Esperança
Patrono: Dante Alighieri
Acadêmica: Simone Medeiros
Cadeira: 25


'ESPERANÇA'

Espera-se do mundo uma aliança
Que case-se no civil e no religioso
Que os laços sejam o da bonança
Q' encontre a Esperança 'o esposo'

Correto nos atos e nas vibrações
Que tome-a por anos as gerações
Que nutre-a d' amor toda sua alma
Q' afaste-a do mal o q' n' te acalma

Espera-se do mundo sagrada aliança
Ungidos espera a paz na Esperança
Mais luzes nos corações das crianças

Na pureza encontra-se a singela beleza
Sagrada aliança será a chave da certeza
Q' livrará o mundo de inúteis vinganças

Simone Medeiros

Ilustração: Google

EVENTO : APOGEU POÉTICO - MODERNO Tema : Esperança



EVENTO : APOGEU POÉTICO - MODERNO
Tema : Esperança
Patrono : Chico Buarque de Hollanda
Acadêmico : Antonio Jorge Santos.
Cadeira : 24


Minha esperança...
Temo que um dia
Minha esperança acabe
E me faça duvidar que ainda posso
Ter você comigo, aqui, só para mim.
Mas a esperança me faz acreditar
Que minha vontade se faça ouvir
Além de sonhar, te abraçar, te amar...
Se morrer esta esperança que me move,
Que faz meu coração palpitar,
Como vou viver?
É esta vontade de querer
Que meu sonho aconteça e que,
Me faz acordar, levantar, te esperar...
Todos os dias.
A esperança é um sentimento de espera,
De que sonhos aconteçam, que amores
Construam vidas, que apesar de tudo,
Ela possa viver no coração de cada um.
Minha esperança é que você ouça
Meu grito de amor e venha logo para mim.
________Antonio J Santos

EVENTO : APOGEU POÉTICO - MODERNO Tema : Esperança



EVENTO : APOGEU POÉTICO - MODERNO
Tema : Esperança
Patrono: Machado de Assis
Acadêmico: José Adão Ribeiro.
Cadeira: 03


Bela Esperança

Bem vinda! Bela esperança
Que traga força e confiança
Para os momentos especiais
Mostrando que somos capazes

Esperança é tudo de precioso
Pelo amor das conquistas
Pelas esperanças em poesias
Escritas por sentimentos amorosos

Levando felicidades aos momentos
Alegrias sem tormentos
Em paz espiritual
Esperanças desejamos ter conosco

Que todos tenham e também meus amigos
Esperança de poder olhar com afinco
Com a liberdade ao declarar
Quando a certeza surgir a se manifestar

Esperança que ela esteja sempre pronta
Para externar as emoções
Com a pureza da alma e os desejos de amar
Que ainda busca o belo que se acalma

Viver já é esperança
Amar já é um sonho
Conquistar já é uma dádiva
Possuir já é uma conquista

Posso dizer sem rodeio
Que amo ter esperança
Não vivo no mundo da ganancia
Por ela ser herança de uma humanidade

Ter sempre é poder
Basta saber conviver
Entre todos os racionais
Esperança maior é ter um mundo de paz

Autor: José Adão Ribeiro

APOGEU POÉTICO MODERNO: Tema : Esperança













APOGEU POÉTICO MODERNO: 
Tema : Esperança
Patronesse: Clarice Lispector.
Acadêmica: Vólia Loureiro.
Cadeira nº 10


ESPERANÇA

Quem és tu, anjo divino,
Que, no anoitecer da vida,
Trazes contigo um lume
A clarear a nossa estrada?

Quem és tu, delicada fada,
Que, nas horas amargas,
Sopras um beijo terno em nossa fronte,
Fazendo-nos perceber novo horizonte?

Quem és tu, ó doce ninfa,
Que sobrevoas ao meu lado,
Quando trilho com enfado,
Colorindo essa árida estrada?

Ah! Se soubesses!
Como é bela a tua luz,
Como é doce o teu beijo,
Como é singela a tua cor!

Ah! Se soubesses!
Que por ti o meu verso é estuante,
Que é sempre tua a minha mais doce lembrança,
És apenas um sonho, uma fada,
Que em meu imaginário tem o nome de Esperança!

Vólia Loureiro

EVENTO : APOGEU POÉTICO - MODERNO Tema : Esperança







EVENTO : APOGEU POÉTICO - MODERNO
Tema : Esperança
Patrono: Àlvares de Azevedo
Acadêmica: Elisabete Decoló
Cadeira: 27


ESPERANÇA.

Tudo que eu fizer,
Minha esperança é chegar.
Até tocar o céu,
Se possível alcançar.

Não vou mudar de ideia,
Nada vai me atrapalhar.
Se preciso for, alcançar estrelas,
Ah! vou até elas beijar.

O caminho é, longo e árduo,
Complicado, e bem sofrido.
Uma caminhada, á ser trilhada,
Sem grandes alarido.

Começo agora! com esperança,
Até a meta da chegada.
Não se esconde nas profundezas da terra,
Está na força da largada.

Zabele Rosa

EVENTO : APOGEU POÉTICO - MODERNO Tema : Esperança



EVENTO : APOGEU POÉTICO - MODERNO
Tema : Esperança
Patrono: charles Baudelaire
Académico: Moisés A. Jalane
Cadeira: 15


Esperança

A minha esperança
De agora em diante
Vai cingir-se num único ponto
Um ponto apenas,
O sonho das sementes
Que não acordam no chão.

Moisés Jalane

EVENTO - APOGEU POÉTICO - MODERNO Tema : Esperança



EVENTO - APOGEU POÉTICO - MODERNO
Tema : Esperança
Patrono: Graciliano Ramos
Acadêmico: Elias Torres
Cadeira: 11


Esperança

Esperança é o sol depois da chuva
É a curvatura de cores do arco-íris
Logo aprecio a videira e fico feliz
Aguardando seus belos cachos de uvas

Quando a dor nos visitar
Não é a hora de entrarmos em desespero
E sim, de buscarmos a esperança
Vivamos confiantes sem exaspero

Esperança nunca morre
Socorre o descrente
E sente sua aflição
Está no olhar e no coração

A esperança é princesa e irmã caçula da fé
O amor é rei, seu irmão primogênito
Sempre congênito, bondoso e experiente
Tratando-a como alteza por ser sapiente.

EVENTO _ APOGEU POÉTICO - CLÁSSICO Tema : Esperança.



EVENTO _ APOGEU POÉTICO - CLÁSSICO
Tema : Esperança.
Patrono : Mário Quintana
Acadêmico : Paulo Monteiro
Cadeira: 09


(Haicai)

Esperança

A vida perdura.
Contra o muro a samambaia
aviva a Natura.

Paulo Monteiro

EVENTO : APOGEU POÉTICO - MODERNO Tema : Esperança



EVENTO : APOGEU POÉTICO - MODERNO
Tema : Esperança
Patrono: Paulo Coelho
Acadêmico: Mauricio Duarte
Cadeira: 18


Esperança apesar daquele dia

Nenhuma palavra,
nenhuma desculpa,
poderia fazê-la
esquecer daquele
fatídico dia...

E no entanto há
esperança e
gana de continuar,
a vida prossegue.

Nada do que eu,
você, eles, pudessem
dizer, diminuiria
a sensação de
morte daquele dia...

E havia esperança,
mesmo assim, porque,
dentro do coração
tinha uma luz.

Nenhum descompasso
poderia ser pior
do que a tragédia
daquele dia, tão
repentinamente...

Mas esperança havia,
é certo, porque
sempre, sempre passa,
nunca, nunca chega.

Nada do que foi,
do que é ou
do que será,
pode fazer aquele
dia, um dia comum...

Mas a esperança,
essa era a mesma,
e haveria de ser,
claro, ela a florescer.

Mauricio Duarte (Divyam Anuragi)

EVENTO : APOGEU POÉTICO - MODERNO. Tema : Esperança



EVENTO : APOGEU POÉTICO - MODERNO.
Tema : Esperança
Acadêmico: Moacir Luís Araldi
Cadeira: 01


Esperando com esperança.

Eu espero,
Cheio de esperança,
O consumismo não vai me influenciar.
Eu espero,
A ganância não me fará egoísta.
Eu espero,
Tem valores que posso e devo abdicar.
Eu espero,
Sem gritaria,
Sem agressões.
Eu espero,
E assim vou fazendo a hora chegar.
Eu espero,
Sem medo de ser o último,
Estarei no meu tempo,
Meu ritmo eu dito.
Enquanto o caminho não acaba
A esperança é infinita.
Eu espero,
Pois sei que ao andar
Encontrarei vestígio de quem passou afoito,
Eu espero,
Tenho pressa em viver.
E a esperança que a humanidade
Feliz haverá de ser.
(Moacir Luís Araldi)
imagem Google

EVENTO : APOGEU POÉTICO - MODERNO Tema : Esperança



EVENTO : APOGEU POÉTICO - MODERNO
Tema : Esperança
Patrono: Florbela espanca
Acadêmica: Ana Sofia Carvalho
Cadeira : 20


VERDE NEGRO

Estou de luto.
De negro vesti a minha alma e de negro me enfeitei.
E à Esperança que sempre carrego, ordenei
que largasse o verde e de negro se vestisse.
E ao pesado desespero me abandonei.

Súbito
Ouvi chorar.
Uma criança que passava na rua tinha caído no chão.
E sorriu para mim quando dela me abeirei.
Só então reparei quão azul o céu estava.
E o suor que me cobria, tinha-mo enviado o Sol que brilhava.
E lembrei-me do encontro que tinha marcado com a Primavera,
enfim chegada.
E já estava atrasada.

Limpei o rosto da criança que ainda sorria.
E guardei para mim um pedaço dessa luz divina que me resgatou.
Mandei à merda a tristeza.
Pintei de branco a alma e o meu vestido.
E segui caminho, lesta, por entre campos verdes de Esperança.
Estava atrasada para o meu compromisso com a vida!

ASC

EVENTO : APOGEU POÉTICO - MODERNO Tema : Esperança



EVENTO : APOGEU POÉTICO - MODERNO
Tema : Esperança
Patrono: Pablo Neruda
Acadêmica: Joana Tiemann Gabe
Cadeira: 12


Esperança

Meus olhos se voltam para a paisagem do dia
Há neblina
Casas opacas
E um otimismo que me empurra para cima

Há ruas por onde passam sonhos
E mendigos com asas

A íris, mãe da utopia
Pinta de verde meus olhos urbanos

Ah, é tão lindo o coração humano!

Joana Tiemann

EVENTO : APOGEU POÉTICO - CLÁSSICO Tema : Esperança



EVENTO : APOGEU POÉTICO - CLÁSSICO
Tema : Esperança
Patrono: Carlos Drummond de Andrade
Acadêmica: Sônia Gonçalves
Cadeira: 14


Observação: Estilo Soneto inglês ou Shakespeariano: três quartetos e um dístico (estrofe de 2 versos;

Abrolhos D’Esperança

Barco atracado d’nós com nós d’segurança
Memórias da retina em águas d’parcel
Sempre haverá sóis em brumas d’esperanças
Escrever-te-ei ao doce luar com lábios d’mel

Minh’esperança é denso poço d’abrolhos
Um receptáculo d’fé sem precedência
Sou capturadora vejo ‘alma nos olhos
Suave é o caminho sou livre consciência

E Haja paciência n'alma perseverança
Para servir d’exemplo ao ser otimista
Tudo depende d’nos atermos confiança.
Desatar o segredo do ser alquimista

Dos grotões aflorem águas d’abrolhos
Esperança inda que lágrimas d’espólios

Son Dos Poemas




EVENTO : APOGEU POÉTICO - MODERNO Tema : Esperança



EVENTO : APOGEU POÉTICO - MODERNO
Tema : Esperança
Patrono: Augusto dos Anjos
Acadêmico: Antonio Montes
Cadeira: 16


VOAR SOBRE MURO

Não, não posso me fixar no passado
e nesse lado a lado com o presente...
Me presencio, um inocente ausente.

Todavia, sinto-me como pássaro
E sobre as asas da sobrevivência
bambeio sobre muro, essa crença.

Após o muro, resta-me o futuro
quem sabe, rumo furo ou rede
aonde o mundo me espera seguro.

Como rede, meus planos se lançam
em leque, sem breque na pujança
tenro no caminho dessa esperança.

Antonio Montes 07/01/16

EVENTO : APOGEU POÉTICO - MODERNO Tema : Esperança




EVENTO : APOGEU POÉTICO - MODERNO
Tema : Esperança
Patrono: Manoel de Barros
Acadêmico: José Leite Guerra
Cadeira: 05


Apogeu Poético: Moderno
Tema: Esperança

esperança
(José Leite Guerra)

apanhe a esperança
delicada jarra
e ague pálidas
folhas espalhadas
esquálidas
de secas estações

aguarde a milagrosa
metamorfose:
ou um seco tronco
de seiva morta
ou traje em farrapo
que jamais se cose
sujo e sem botões

apanhe a esperança
em bom alento
mesmo que vento
sopre cansado
último unguento
pra ferida ou chaga

apanhe a esperança
como se fora jarra
cheia de vontade
em lavar o mundo
em abrir a grade
limpar o imundo

apanhe a esperança
em qualquer idade
e se faça verde
painel cor da alma
tinja-se e apague
a palidez que exala
mil decepções

nunca se desista
em procurá-la
perto ou distante
de obscura vista
porque ela cintila
rútilo brilhante
livre sempre-viva.

EVENTO : APOGEU POÉTICO -MODERNO Tema : Esperança




EVENTO : APOGEU POÉTICO -MODERNO
Tema : Esperança
Patrono : Ferreira Gullar.
Acadêmica : M Ivoneide J de Melo.


Venha,
apressadamente meu coração te chama
não disperse a esperança só a verdade
nos liberta

não há espaço pra maldade e ilusão
quando o amor stá c' a porta aberta

E chega com a primavera ...

é quando nosso futuro recomeça
não se demores há sinalização ...
é perfeição...

Apressa-te,
meu coração está com pressa
Sou o sonho de tua esperança ,
és a febre que nunca descansa
o teu delírio que há de matar .
Maria Ivoneide Juvino de Melo

EVENTO : APOGEU POÉTICO - MODERNO Tema : Esperança



EVENTO : APOGEU POÉTICO - MODERNO
Tema : Esperança
Patrono : Ariano Suassuna
Acadêmica : Emília Guerra
Cadeira : 04

MARCO DE ESPERANÇA (Emília Guerra)

No voo da Esperança
encaro os ventos
sem tirar nem por
sou asas no encanto
dos quatro cantos
do mundo inteiro.

Ou nas sete partidas
do mundo do verso
sou o universo na lei
que meu poema compete
na Esperança que nasci.

Sou propositura a revés
de cada travessia das linhas
escritas na sinuose poética
na Esperança que sempre alcança
ou na Esperança é a última que morre.

Nada é sempre igual
e a criatividade é desafio
operante no que estou perto
ou no que busco distante
para sempre Esperança ser.

Todo símbolo é dádiva
toda coisa é Sagrada
nada se perde nesta jornada
tudo se encontra nas vias da fala
da Esperança para que te quero.

Nunca fico de saco cheio
porque sempre esvazio
meus perdidos e achados
encontrados na imaginação
da Esperança buscada.

Opinião em questão no pensamento
cada elemento é meu momento
no uso da minhas indagações
contestáveis do quero achar
o meu mote Esperança chegada.

Lei para cada dizer e fazer
no meu ver aqui e alhures
no que me serve dos procures
no acervo da Esperança
do meu berço esplêndido.

E, nesta busca que não cansa
nas vias da origem que me habita
na realidade que me sorve a maturidade
de toda lembrança de criança no céu
que meu entender alcança e grita.

Vivo o apogeu da minha Esperança
nos gestos e intenções do meu alarde
na busca perene na fé da minha afinidade
na liberdade que meu coração afaga

(No meu marco de Esperança para eternidade)

Evento: Apogeu Poético Tema: Esperança


EVENTO : APOGEU POÉTICO - MODERNO Tema : Esperança





EVENTO : APOGEU POÉTICO - MODERNO
Tema : Esperança
Patrono: Cora Coralina
Acadêmico: Antonio C Almeida
Cadeira :21


O DESPERTAR DA ESPERANÇA

Na linha do horizonte
Onde se desfaz em noite sol
Onde arco-íris minha íris entoa
Da tranquilidade que chega sem voz.

No silencio da brisa que pareia
Da suave imagem que incendeia
Tudo é paisagem
Na formação destas imagens.

Da mão que se ergue em lucidez
Do abraço que chega em sua vez
Toques no coração de quem desanda
E necessita um tanto de força nesta dança.

Das lágrimas que chegam de algum lugar
Da angustia que nos leva a querer parar
tudo necessita de um local
Onde paisagem, abraços e carinho
Trazem-nos novamente ao ninho.

Da linha do horizonte
Sol que se desfaz nos montes
Do abraço apertado
Da mão que chega ao lado.

Antonio C Almeida
03/01/2016

EVENTO : APOGEU POÉTICO - MODERNO - Tema Esperança



EVENTO : APOGEU POÉTICO - MODERNO
Patrono: Vinicius de Moraes
Acadêmico: Djalma Pinheiro..
Cadeira : 13...


Minha vida se chama esperança...

Minha esperança muitas vezes cai por terra
Levando-me ao desespero que me deixa incrédulo no ser humano
Falsas promessas de mudanças que não vem
Compromissos assumidos e não cumpridos.

Minha esperança é assim, o ceticismo que me leva a ter duvidas
De onde vim, para onde vou
Caminhos com volta ou sem volta
Que me levam ao abismo da desesperança.

Mas sempre reajo aos percalços que a vida nos prega,
Pois para se chegar ao perfume das rosas, muitas vezes ferimos nossa alma
E assim sigo a minha vida de escritas errantes.

Ao chegar ao fim reagindo vejo luzes
Mãos que me afagam me levantam
Que me fazem ver que a minha esperança não tem fim...

Djalma Pinheiro
Faceboock: gabinanacomerv@gmail.com
Comunidade PAPO DE BOTEQUIM COM POESIAS E MPB:https://www.facebook.com/Papo-de-Botequim-com-poesias-e-…/…/
AVL – Academia Virtual de Letras – Cadeira: 13 – Patrono: Vinicius de Moraes
E-livros: Disponíveis gratuitamente em meu site

EVENTO: APOGEU POÉTICO - MODERNO Tema : Esperança









EVENTO : APOGEU POÉTICO - MODERNO
Tema : Esperança
Patrono: Carlos Drummond de Andrade
Acadêmica : Sônia Gonçalves
Cadeira : 14


Júbilo D’Esperança

Ao alinhar os sentidos em conjunção
Chove aleluia em crepitar d’esperança
Otimista o amor depura em junção
Inspira faz da tempestade bonança

A conspiração está no alinhamento
Na união dos quatro pontos cardeais
Na astrologia no moinho d’vento
Na poesia banhada com águas d’sais...

Nas causas d’efeitos bicolaterais
No trajeto do Sol e gozo refletor
Na convergência das coisas banais
Importante é a rosa dos ventos amor...

Mantras e coisas surreais são meros ledos
O ponto G é súbito susto subconsciente
O ignoto desperta esperanças e medos
Cria o incógnito o desejo onipresente...

Deita na conta do Supremo essa súplica
Faz da gota d’orvalho a extrema unção
Dá alegria ao viver a canção mais lúdica
Da morte súbita quem sabe bênção...

O peso do juízo dá á balança precisão
A carne do pecado ás vezes necessita
A esperança é saber um quê d’profetização
E cada qual rubrica igual o quilo que credita...

Son Dos Poemas

APOGEU POÉTICO - MODERNO Tema : Esperança



APOGEU POÉTICO - MODERNO
Tema : Esperança
Patronesse: Adalgisa Nery
Acadêmica: Ana Cristina.
Cadeira:23


O Renascimento da Esperança.

Avistei-a num canto
Ela me olhou estava em prantos
Era a menina esperança
Encolhida chorosa feito criança.
Foi banida pela apatia e a desconfiança
Era muito triste de se ver
A felicidade veio em auxílio
Lhe deu um abraço, não pode conter
Mas foi em vão seu esforço
Ela chorava de dor e medo
Veio então o sorriso, o esboço
Nada a demoveu, engano, ledo
Fez cócegas no seu corpo inteiro
Alguma coisa deveria lhe tirar
A dor profunda que traz no peito
Era por causa do mundo, o mundo inteiro
A tristeza lhe avisou que iria comandar
Tiraria das crianças, os pais e o lar
Dos velhos a dignidade, o sorriso e a vaidade
Ela se desesperou ficou no canto amuada
De tristeza profunda foi tomada
Então o amor resolveu fazer um mutirão
Se aliou aos sentimentos de bondade
Demoveram a esperança do seu canto
Do seu lamento
Ela levantou, se esticou e distribuiu
Doses de esperança
Irradiou no mundo e logo se alastrou
Agora o mundo é vivo, correm aqui e ali todas as crianças
Foram banidas a tristeza e a apatia e
Trouxeram de volta a doce esperança.
Ana Cristina

Terceiro lugar Apogeu Póetico Moderno da AVL Tema Natal



Parabéns poeta, José Adão Ribeiro, pelo segundo lugar no Apogeu poético (Moderno)
Patrono : Machado de Assis
Acadêmico : José Adão Ribeiro
Cadeira : 03

TEMA NATAL

Natal DE AMOR E LUZ

Nosso coração 
Nossa emoção 
Nossa esperança
Sempre aguarda este momento
De felicidades sonho e desejos
Mas sabemos que nem todos têm 
Estes sentimentos 
Por acharem que jamais terão
Sonhos realizados
É doloroso os fatos 
De haver pessoas sem sonhos
Apesar dos sonhos existirem
Mas este condenado 
A nem sonhar
Poucos têm muito além 
Do esperado
Muitos têm pouco
E muito além nada tem
Desejo mesmo assim
Um feliz natal
Apesar de o natal ser todos os dias
Todas as horas 
Aos que sentem vivo
Aos que tem esperança
De alguma conquista
Em sua vida
Feliz natal mundo 
Feliz natal humanidade
Que nos esforcemos
Para que a nos demos 
O próprio presente
De nos doar o que é possível
Até mesmo uma palavra
Um carinho
Uma atenção
Um reconhecimento
Faça alguém feliz
Encontre a fé
Leve pelo menos a
Inspiração de uma palavra e
Zele sempre o bem maior que é o amor
Natal que seja mais humano
A cada um deste planeta
Tendo e dando mais amor 
Aos que nada tem, que a
Luz do natal esteja em todos os lares
Com amor verdadeiro solidário
Ou mesmo onde houver vida feliz natal!
Mostre que é possível extrair
Alegria, com brilho nos olhos.
Mostrando que o maior presente é
Orgulho de sentir se vivo com dignidade
Rogo ao bom Deus paz luz a todos

AUTOR: JOSÉ ADÃO RIBEIRO

Segundo lugar do Apogeu clássico da AVL Tema Natal




Parabéns, poeta Jose Manuel Cabrita Neves , pelo segundo lugar no "Apogeu poético" (Clássico)

Tema: O NATAL

Patrono : Antero de Quental
Académico : José Manuel Cabrita Neves 
Cadeira :07

PEDIDO AO PAI NATAL

Serei, pensando em ti, sempre a criança
Que não cresceu, mantendo-se inocente! 
Que alimenta nos sonhos a esperança,
De um dia ter a paz como presente…

Pensando em ti, ocorre-me a lembrança,
De ver-te a distribuir por toda a gente: 
Compreensão, amor e confiança,
Envoltos num futuro reluzente…

Está podre a humanidade, já não presta!
Dos valores que a compunham nada resta,
Apenas ódios , sangue, humilhação!

Se puderes, meu bondoso Pai Natal,
A quem semeia a morte e nada vale,
Leva-lhes o sentir de um coração!...

José Manuel Cabrita Neves

Segundo Lugar Apogeu Poético Moderno da AVL Tema: Natal


Parabéns, poetisa Joana Tiemann , pelo segundo lugar no "Apogeu poético" (Moderno)

Natal
É dezembro

Há poesia no vento que me acaricia

Nas rotas desiguais do mundo,

o amor incondicional rebrilha sobre nós

Entorpecidos de satisfação, dançamos,
sem perceber que a música não toca para todos.
O espírito natalino decora nossos corações com luzes coloridas
Somos chamados à fraternidade
Ainda que a ferida esteja exposta,
é tempo de refazer sonhos e apostas
É dezembro
A harmonia se prolifera...
Somos anjos à espera de um milagre.
Joana Tiemann

Primeiro lugar no Apogeu Clássico da AVL Tema Natal



Parabéns, poeta João Urague Filho pelo primeiro Lugar Apogeu poético Clássico .

NATAL: TEMPO DE PERDÃO

Aquele que num gesto de ousadia,
É capaz de sublimar-se consciente;
Redimir-se desse mal que o angustia,
Pedindo ao outro perdão: é o mais valente!

E quem do outro costado da disputa,
Tiver da mesma senha a mesma sorte;
Serenar-se em segredo em plena luta,
E inocentar antes ao outro: é o mais forte!

Porquanto a mágoa é um veneno traiçoeiro,
Que dano pior ocasiona ao infeliz,
Que a tem inoculado por primeiro;

De sorte que a mesma se contradiz. . .
No libertar-se dela por inteiro,
Quem se esquece primeiro: é o mais feliz!

João Urague Filho