Total de visualizações de página

terça-feira, 31 de maio de 2016

Apogeu Poético moderno - Tema: Destino ** By**Acadêmica : Luiza Senis




PATRONO : Manuel Bandeira
Acadêmica : Luiza Senis
Cadeira:33
Tema: Destino
( Apogeu Poético moderno )


Não pude tirar a máscara
Por medo de te perder
Medo de voltar a sofrer
novamente

Eis que o lirismo do
meu verso falou por mim
Agora se existiu realmente
um alguém o poema dirá

Cansei de sofrer por
te amar
Por tantos caminhos
ingrimes passei
Pedras da estrada retirei
Lágrimas enxugo até agora

O frio que sinto é na alma
Somente o amor será acalanto
Por um alguém que amo tanto
E invisível aos meus olhos
Mas na alma caminha silente

E me inspira nas madrugadas
Meu destino é ao seu lado
Bem sei ... Como te encontrar
na realidade não descobri
Somente no sonho consigo
te sentir.

Luizaluzsenis



APOGEU POÉTICO - MODERNO - TEMA: DESTINO ** By**Acadêmica : Maria Ivoneide Juvino de Melo.




Patrono : Ferreira Gullar.
Acadêmica : Maria Ivoneide Juvino de Melo.
Tema : Destino.
APOGEU POÉTICO - MODERNO

Portadora , imposta pela natureza
aceito ; caso no ocaso do contrário
quereria reluzente no horizonte ...
Próspero e costumaz

Soberbo e auto suficiente
abstêm-se das guaridas
as dá quem as queiram
é sinal de alguém

Predestinação de alguns
acaso de outros
no universo sideral ...
tem os casos fatais

É sinônimo da sorte
na cartomancia é emprego
dirige a todos p'ra dá rumo
é sina !

É desígnio de Deus
Só os fortes o enfrenta
é meu o destino 
resignada abraçá-lo-ei !
Maria Ivoneide Juvino de Melo







APOGEU POÉTICO - CLÁSSICO - TEMA: DESTINO ** BY**Académica: Maria João Brito de Sousa







Patrono: Manuel Maria Barbosa du Bocage
Académica: Maria João Brito de Sousa
Cadeira: 06
Tema : Destino
APOGEU POÉTICO - CLÁSSICO - Décimas )

DESTINO(S)

Destinos pré-fabricados,
indelevelmente escritos,
como se uns fossem proscritos
e, outros, abençoados
pelos arautos alados
de supremos plebiscitos?
Não o creio! São esquisitos
e estão mal fundamentados
os argumentos lançados
pr`a sustentar tais quesitos...
Sei trazermos, à nascença,
genes bem determinantes,
mas nunca serão constantes...
só uns marcarão presença
na selva mais do que imensa
das infindas variantes
que, às vezes, por uns instantes,
se projecta ou se condensa;
morta a razão, brota a crença,
mas não volta ao que era dantes...
Tanto, tanto (des)caminho,
tanto passo `inda por dar,
tanta porta por fechar
- de rompante, ou de mansinho... -,
tanta barca, tanto ninho,
tanta rota por traçar,
tanta luta por lutar,
tão pouco pão, tanto vinho...
Uns, tudo, outros, poucochinho;
Tanto por equilibrar!
E, no meio disto tudo,
num tempo em que as horas passam
como jactos que desfaçam
rastos de análise e estudo,
penso ainda - não me iludo... -
nas frustrações que ameaçam
uns tantos que, mal esvoaçam,
julgam ver, extáctico e mudo,
esse, cujo conteúdo
é mais lábil que os que o traçam...

Maria João Brito de Sousa - 12.05.2016 - 20.51h








APOGEU POÉTICO - MODERNO - TEMA: DESTINO **By**Acadêmica : Sônia Gonçalves





Patrono: Carlos Drummond de Andrade 
Acadêmica : Sônia Gonçalves 
Cadeira: 14
Tema : Destino
APOGEU POÉTICO - MODERNO 

Configuração do Destino

O clima é boa chuva conspiração
Hoje está bom amanhã quem sabe...
Fiz um backup até onde me cabe...
Sei que reconfigurei meu coração

Nem tudo o destino confabula 
Muitas vezes simula por indução
Faz de conta nos dá impressão 
Causa efeito psicológico ler a bula?

E a bola de cristal que tudo prevê?
Previu meu destino desde pequena
Simples 'mente avoante poesia morena
Disse-me delirante num sonho breve...

Leve escreveria eu poema em sintonia...
Em cada grota de liberdade sobreposta
Leria Fernão certo Capelo, seria eu gaivota...
A felicidade me sopraria linda sinfonia...

Deixaria o destino me levar pelo vento...
Ao sabor dos sabores e dissabores
Faria mel de jabuticabas dos beijos licores
Escorreria pelos dedos meu pensamento

Predestinada libido louca incondicional
Deu-me brevê pra voar com você dá um giro
A receita perfeita pra eternizar-te num papiro
Escrever e reescrever nosso amor atemporal...

Injetar o ar nos pulmões num suspiro
Seguir a intuição pode ser destino ou sinal
Loucura é o clima de inverno outonal
O tempo é nosso inferno dá imaginação

Configura o destino sem pré combinação
Sem nos dá ciência nem explicação...
Son Dos Poemas





APOGEU POÉTICO - CLÁSSICO - TEMA : DESTINO ** BY**Acadêmica: Simone Medeiros






Patrono: Dante Alighieri
Acadêmica: Simone Medeiros
Cadeira : 25
Tema : Destino
APOGEU POÉTICO - CLÁSSICO

DESTINO...
Quantas vezes eu o indaguei
Nas madrugadas, eu o implorei
Que fosse-me ameno o destino
Que fosse-me suave e não ferino...

Quantas lágrimas derramadas
Por entre tantas amarguradas
Rezei de joelhos pedindo-te perdão
Como sofrestes meu pobre coração!..

É claro, que todos temos um destino!
Na ida e na volta, atribulações.
São na vida, meras imperfeições,

São reparos em evoluções,
Do espírito noutras vidas e lições,
Refiz-me em laços, atei-me ao destino...
Simone Medeiros 
18/05/2016
Ilustração: Google






APOGEU POÉTICO - MODERNO - TEMA: DESTINO ** By**Acadêmica: Joana Tiemann Gabe






Patrono: Pablo Neruda
Acadêmica: Joana Tiemann Gabe 
Cadeira: 12
Tema : Destino
APOGEU POÉTICO - MODERNO

Elevo meus pensamentos à minha sagrada história
rememoro os fracassos e vitórias.
Na corda bamba da vida
equilibro destino e livre-arbítrio.
Nas encruzilhadas do meu viver
Tantas vezes fui tomada por uma força desconhecida;
Essa força que tantos negam 
que entrelaça vidas,
que cruza caminhos
que segrega e também faz a união.
Porém, tenho a convicção
que a minha vontade, o meu otimismo
não caminham a esmo
Quem dera que nossos olhos pudessem ver
além de nós mesmos.
Joana Tiemann





APOGEU POÉTICO MODERNO - TEMA : DESTINO ** By** Académico Sanjo Muchanga







Patrono : Affonso Romano Santanna
Académico : Sanjo Muchanga 
Cadeira : 08
Tema : Destino
APOGEU POÉTICO - MODERNO

Desnorteado embarco no presente 
para o paraíso fraterno do futuro. 
Descarto a pressa de morrer 
antes do nascer do sol 
no rio primaveril.
Mas que vida desonesta faz bem!
Senão ser prisioneiro de lembranças
que o tempo reserva 
Como um troféu do destino.
Navego desorientado neste nau
Entre mares do destino forçado 
Pelas ondas silenciosas das lágrimas 
Que nascem no desespero do choro.
Esta noite fúnebre e febril 
me revela as entranhas 
do meu destino no passeio sombrio.
Entre o cortejo de lágrimas despidas
pela morte naufragada 
Neste poema pré destinado.
Sanjo Muchanga







APOGEU POÉTICO - MODERNO . TEMA: DESTINO **By**Acadêmico: Elias Torres





Patrono: Graciliano Ramos 
Acadêmico: Elias Torres 
Cadeira : 11
Tema : Destino 
APOGEU POÉTICO - MODERNO

Não creio na existência do destino 
Podemos mudar os rumos de nossas vidas 
Pessoas estão vivendo com medo da sina 
Ao invés de prosseguirem estão perdidas
Muitos acreditam para fugir de suas culpas 
Outros vivem esperando ele chegar 
Como se fosse um transporte para uma viagem 
Rumo à felicidade e ficam a penar
Destino, uma grande parte não creem mais 
Nós temos que viver o hoje com qualidade 
Para podermos chegar à sumidade 
Com amor, esperança e gozar da paz. 
Elias Torres






segunda-feira, 30 de maio de 2016

APOGEU POÉTICO - CLÁSSICO _ TEMA : DESTINO **By**Acadêmica : Ana Sofia Carvalho






Patrono: Florbela Espanca 
Acadêmica : Ana Sofia Carvalho
Cadeira : 20
Tema : Destino
APOGEU POÉTICO - CLÁSSICO 

DESTINO
Pensei um dia ter traçado o meu Destino
Mas foi ele quem m' ensinou que m' enganei
Se o traçarmos, certo é dar em desatino;
Se o não fizermos, não sabemos o que eu sei.
O Destino é um labirinto d' encruzilhadas
Com que nós, constantemente, nos deparamos,
Em cada uma, mil hipóteses enrodilhadas
Num novelo, que a vida vai desatando.
De nada vale ter, no Destino, obstinação,
De nada serve dele nos abstrairmos;
Tudo vai acontecendo no caminho.
Afinal, é isto que é o Destino:
A cada hora tomarmos a decisão
Convictos a prosseguir quando cairmos!
ASC
Arte: Salvador Dali, "Destino", 1946







APOGEU POÉTICO - MODERNO - TEMA: DESTINO **By**Acadêmica: Ana Lucia Mendes




Patronesse: Rachel de Queiroz
Acadêmica: Ana Lucia Mendes 
Cadeira: 26
Tema : Destino
APOGEU POÉTICO - MODERNO

O destino da fênix

Já é premeditado 
Pois já sabe-se que seu ciclo é sempre infinito 
Estrada pontilhada nas interrogativas...
Exclamações por cada esquina da vida
Dor, 
Amor
Paixão
Tristeza
Alegria 
Aprendizados
Que a fazem voar pelos penhascos do dia-a dia
O destino da fênix
Não se resume a ir em busca da própria felicidade
Pois a sua felicidade às vezes 
Projeta-se na felicidade dos outros
O destino da fênix
É uma estrada pontilhada nas suas reticências
Não almeja viver a vida apenas pela aparência
Ah o destino da fênix 
É uma incógnita predestinada
A todo aquele que se renova em sua caminhada
Sem a ilusão de viver a vida 
Na fantasia real do que almeja
O destino da fênix
Almeja o ciclo de morte renascer
Liberando seu canto pelo universo 
Mias forte mais viva 
E a em sua vida levar
As labaredas do Amor pela estrada 
Que se põem a caminhar
Ah,o destino da Fênix ...
Grande enigma sinistro ?
Macktube ...
Estava escrito! 
ou o exerciício do livre arbítrio?
Jogo de cartas
Quem sabe nas palmas das mãos escrito?
O destino da fênix 
Eu afirmo 
Está nas mãos do DEUS do IMPOSSÍVEL !
ANA LUCIA MENDES







APOGEU POÉTICO - MODERNO TEMA: DESTINO **By**Acadêmica : Ana Carvalhosa


Patronesse : Natália Correia
Acadêmica : Ana Carvalhosa
Cadeira: 32
Tema : Destino
APOGEU POÉTICO - MODERNO

Destino
tens um X marcado na rua
no ponto certo onde me cruzo contigo
e só por isso te chamo de amigo
sina fado ter-me cruzado contigo
é sina de chamada como presente
um som de fado meio embriagado
que me transporta acordado
para a ti correr e abraçar amigo
que cruzou meu destino
facultou-me a sua presença
que a vida te guarde bem querença
augure o desejo realizado de criança
cresça e padeça à bravura de herói
que se mova na bandeira da vida
breve momento que missionou
nas algas pescadas e nas que deixou
ultrapassadas nas vagas que içou
destino traçado num risco a giz
ferro e fogo na carne 
cumprindo não se desdiz
segue... feliz
poem by © ana'Carvalhosa~18mai16
Foto by © Cristina Menezes Alves - Fotografia






APOGEU POÉTICO - MODERNO -TEMA:DESTINO **By**Acadêmica:Andreiihya Marhyá





Patrono:Jorge de Lima
Acadêmica:Andreiihya Marhyá
Cadeira:30
Tema : Destino
APOGEU POÉTICO - MODERNO

Em teus braços,deleito,
Meus sonhos, mais encantadores,
Meu coração clama, arduamente por ti...
Castelos brilhantes,
São construídos,no mundo, dos céticos,jamais viverei,
Minha alma libertadora,
Busca o inatingível..
Destino meu,revela teus,
Propósitos,
Suas respostas, 
São inigmáticas..
Apostas faço por ti,
Do amanhã sempre espero..
O imprevisível,
Meus passos seguem,
Compassadamente..
Em teus rumos..
Quero ser guiado,através 
De teus comandos,
Na vida,sou amante das ilusões,tolo,serei..
Assim será sempre..
Nos seus encantos..
Sou envolvido,
Nascemos entralaçados..
E desse nosso caso, 
Envolvente,vivo á perseguir
Minha felicidade...(poema,autoria:Andreiihya Marhyá)
Poema:Andreiihya Marhyá







Apogeu poético moderno.Tema:Destino **By**Academica :Maria Aparecida





patrono :Jorge Amado

Academica :Maria Aparecida 
Cadeira :
Apogeu poético moderno.

Destino
Vou tentando me acostumar
tentando me adiar
fugindo do meu destino
tentando me enganar
mas não é por acaso
que se cumpre o que deseja
é o destino dando a mão
fazendo alcançar o que se almeja
Não há interrogação
perante ao real mistério
o destino se cumpre
atendendo ao que quero
mas nem sempre e assim
as vezes o destino se faz perder
nos caprichos mundanos da vida
deixando o sonho morrer
e o destino que eu quis
no nevoeiro foi se esconder
deixando escrito na mão
que o destino não se lê...







APOGEU POÉTICO - MODERNO TEMA:DESTINO **BY**Acadêmico: Djalma Pinheiro..






APOGEU POÉTICO - MODERNO
Patrono: Vinicius de Moraes
Acadêmico: Djalma Pinheiro..
Cadeira : 13...
Tema : Destino. 

Meu destino ou minha sina...

Será que é sina o que meu destino me reservou
Nasci quando todos diziam ser impossível
A gravidez de minha mãe vingar
Pois ela já tendo tido oito filhos
E com quarenta três anos e doente
Havia perdido um dos seios por câncer
Um ano antes de engravidar de mim.

Ah, mas teimoso que sou
Sai de seu ventre
Agarrando-me a vida
Já nasci lutando
E aprendendo ao sair do ventre
De uma guerreira a lutar
Pois ela me passava isso eu ainda em seu ventre
Sentia a sua garra.

Aos três anos, tomei a primeira porrada firme da vida
Meu pai homem simples, trabalhador e honrado
Um grande socialista, filiado e fundador
Como marmorista do PSB
Morre de câncer na laringe
Talvez depois de meu nascimento
A primeira prova de garra a vida.

Nossa o que o destino me reservou
Menino prodígio 
Que aos seis anos já soletrava e bem
O Jornal dos Esportes
Trazido diariamente pelo meu irmão mais velho
Quando vinha da padaria
Ele era padeiro.

Já adolescente escutando as histórias 
Contadas pelos meus irmãos
Dos pensamentos de meu pai
E o que ele falava
Sobre a vida e a política
Comecei a me interessar
Culminando com minha entrada na JS
Em plena efervescência política
Ode aos dezessete anos
Ia as passeatas do movimento estudantil
Culminando com a ajuda em escrever
Manifestos contra o golpe militar.

Ah, ai também comecei a tentar rabiscar
Uns escritos que diziam serem poesias
Como não ouvíamos e nem líamos literalmente nada
De jovem guarda, hippies, rock 
Éramos digamos um pouco diferentes
Líamos muito desde Marx a Graciliano Ramos
Ouvíamos muito MPB
E obviamente discutíamos muito sobre política.

Meus rabiscos que falavam serem poéticos
Eu particularmente os achava bobos
Mas as mocinhas gostavam
Onde me incentivei
Não sei honestamente se era 
Para impressionar elas
Ou porque gostava
E ate hoje digo que não sou poeta
Sou um escritor que esta poeta.
Esta ai mais uma vez o destino me pregando peças.

Sinistro este destino
Que hoje aos sessenta e cinco anos
Continuo lutando pela vida e para sobreviver
Com os mesmos ideais.

Este destino que me fez assim
Escritor que dizem ser poeta
Poeta eu não sou
Poeta gosta de rimas e regras.

Eu gosto é de escrever
Ou como uma de minhas frases
“não escrevo, psicografo o meu interior e o do alheio”

Ai pergunto e destino ou é sina....

Djalma Pinheiro
Faceboock: gabinanacomerv@gmail.com
Comunidade: ttps://www.facebook.com/Papo-de-Botequim-com-poesias-MPB-478793652292942/
E-livros: Disponíveis gratuitamente em meu site.







APOGEU POÉTICO /MODERNO/ TEMA - DESTINO **By**Acadêmica – Ana Cristina





Patronesse – Adélia Prado
Acadêmica – Ana Cristina
Cadeira – 23
APOGEU POÉTICO / TEMA - DESTINO
MODALIDADE – LIVRE 

Ora vejam só vocês que tamanho desatino 
Era eu um ser errante neste vasto mundo grande
Há algo me levando à frente muito além do meu destino
Engoli em seco ante o sentido profundo do acaso infante
O recado estava dado bem paulatino era eu no alvo de um belo cretino
As pernas tremeram o suor escorreu a fala gaguejou de modo irritante
Um homem de bela casaca, chapéu de flanela e um sorriso libertino
Eu uma moça bem tímida cabeça baixa mãos no colo e o olhar distante
O lobo alcançou sua presa, era eu a vítima perfeita, que descortino
A paixão foi de primeira, coração batia num aceleramento constante
Abatida como presa destemperou meus sonhos e o meu destino
Hoje canto em prosa e verso desilusão de amor de um homem amante.
Fico em frente àquela porta que um dia trouxe o moço repentino
Os dedos deslizam nas cordas o olhar se levanta distante
Agora o coração anda gelado pensando no Casaca infante 
Ora vejam só vocês que tamanho desatino 
Fui me apaixonar por um homem de corpo e atitude de menino.
Ana@Cristina.





Apogeu Poético Moderno.: Tema: Destino **By**Acadêmico: Hudson Ribeiro.





Patrono : Walt Whitman.
Acadêmico: Hudson Ribeiro. 
Cadeira : 19 

Apogeu Poético 
Modalidade : Moderno.

DESTINO
O livro do destino
Nunca está escrito ainda
A cada segundo luz
Novas entradas, novas saídas
E mesmo com a vida resolvida
O revolvido fere a ferida
E ela purga feroz.
O livro do destino
Nunca está escrito ainda
Mesmo com todos os anúncios
Coloridos em capas de revistas
O amanhã é tempo maturando
No ventre da vastidão abismal
Todas as possibilidades pulsam
Com a força de mil megatons.
O livro do destino
Nunca está escrito ainda
Alguns se arvoram em profetas
Outros se fingem poetas
Alguns poucos se atrevem
A tecer o destino como quem cozinha
Com paciência e candura.





APOGEU POÉTICO ( CLÁSSICO )TEMA:DESTINO **By**João Urague Filho




Apogeu Poético - AVL
Publicado por João Urague Filho · Ontem às 00:37 ·

Patrono: Fernando Pessoa
Acadêmico: João Urague Filho
Cadeira: 02

EVENTO: APOGEU POÉTICO ( CLÁSSICO )
DESTINO

Tu me disseste dia desses que o destino
Está escrito nas estrelas do universo,
E que nós dois por estranho desatino
Fomos traçados a seguir rumo inverso.

Que o destino ninguém muda o seu traçado,
Quem escreveu que foi Deus que pode tudo,
E que nós dois por culpados condenados,
Separados por um Deus silente e mudo.

Eu te proponho logo uma rebelião.
Subamos pois pelas cordas da paixão,
E tomemos de ofensiva os céus do Olimpo;

Usurpemos do destino o seu rascunho...
O que for nosso escrever de próprio punho,
Como quem passa nossa história a limpo!

João Urague Filho



Apogeu Poético moderno Tema : Destino **By**Acadêmica: Sheila Santos







Patronesse: Clarice Lispector
Acadêmica: Sheila Santos
Cadeira: 10

Apogeu moderno
Tema : Destino

DESTINO

Sei que estás em algum lugar
De meu passado... 
Sei que mesmo sem saber,
Já fazes parte de meu presente
E, ainda que não me conheças,
Já fazes parte de meu futuro... 

Sei... Apenas sei...
Sei que também sentes minha falta
E estás a minha espera... 
Entendo... Ah, como entendo todos teus motivos...
Este teu olhar tristonho, de sonho,
Que vez por outra se reveza 
Entre lágrimas amarguradas de saudade,
Vazio de medos e momentos plenos de solidão...
Sabes, também passo por isso...
E estes instantes, acreditas, também são os meus...

É como brisa fresca que toca em meu rosto,
Que te sinto...
É como o sol que a cada dia resplandece,
Que te toco...
E consigo sentir 
Com toda a certeza de minh'alma,
Que um dia te reencontrarei...

É essa paz que transparece em meu sorriso,
Que me dá a certeza que tanto necessito...
Essa certeza que tu estás por perto,
Estás mais perto do que imagino...
Porque ainda que não te veja, te sinto...
Estás sempre comigo... 

Só peço ao destino
Ah, destino... Não tarde mais por isso,
Mas prepara-me para este momento divino...
Que quando tu vieres 
Eu apenas te olhe e não me engane;
Que, quanto tu chegares, 
Meus olhos, em nenhum instante,
Perca os teus de vista...
Que quando me encontrares
Ah destino, 
Permite que meu coração apenas
Tenha a certeza
E minha alma simplesmente
Te reconheça...

Aliesh Santos






Apogeu Poético: Tema: Destino **By** Acadêmico : Paulo Monteiro



Apogeu Poético AVL

Tema Destino:

Cadeira: 9

Patrono: Mário Quintana 

Acadêmico Titular: Paulo Monteiro 

Modalidade: Clássico 

Forma poética: Trova

Eu sou um pobre indefeso.
Por mais esforço e desvelos,
o meu destino está preso
nos elos dos teus cabelos.
(Paulo Monteiro)

Ilustração: Quadro de Miriam Postal Garbelotto.





Apogeu Poético : Moderno Tema : Destino **BY**Acadêmico : José Leite Guerra





Patrono : Manoel de Barros 
Acadêmico : José Leite Guerra 
Cadeira : 05 
Apogeu Poético
Modalidade : Moderno 
Tema : Destino 

O DESTINO
(José Leite Guerra)

O destino pode ser rota
Confusa para quem anda
Sobre o calcário de grota
Ou caminhada sem curso

O destino é impossível
De ser traçado em reta
Porque dá suas curvas
Atrasa ou se adianta

Intocável nos espanta
Com segredos de asceta
Chegada que encanta
Saída que traz saudade

O destino com a seta
Fincada no tempo avança
À frente ou se resguarda
O destino é ambulante

Não que por si possa
Nos fazer um errante
Ou eterno vencedor
E porque misterioso

Nos traz dias de repouso
Turbulências ou temor
Dias felizes de gozo
E momentos de dor

O destino está perto
Longe, a descoberto
Encantado no bronze
Ou no sorriso da flor.

José Leite Guerra 




Apogeu Poético Moderno Tema: Destino **By**Acadêmica : Emília Guerra





Patrono : Ariano Suassuna 
Acadêmica : Emília Guerra 
Cadeira : 04 
Apogeu Poético 
Modalidade : Moderno
Tema: Destino 

Destino (Emília Guerra)

Todo tino 
em alinho
na referenda 
de cada destino...

Sou causa 
deste moço
na entrega 
sem alvoroço. 

Sem moderação 
na via do caminho 
do meu viver
enxergo o movimento
nos passos deste menino.

Lado a lado 
ele e eu 
no encontro 
do acontecido
no espelho da vida
e o que vai acontecer.

Somos reféns 
das emoções
deste destino 
nas nuances 
e direção 
deste referido. 

O que vem 
o que virá? 
Oh, meu destino! 
Estou a esperar 
na trama humana 
de Esperança.

E, na Esperança 
que alcanço
meu destino 
acompanha-me:

Agora e sempre
lado a lado
na cumplicidade 
dos meus dias... 

Sou tua e tu és meu 
querido destino
nesta confiança 
desde criança.

Tal qual a luz 
das estrelas 
meu destino
se faz grande 
aliado ao Divino... 

O destino 
é o Apogeu 
da minha vida
de amor
no acalanto 
do poema... 

(Na guarida deste tema)





APOGEU POÉTICO MODERNO: Tema: “DESTINO” **By** Acadêmica: Geilda Souza de Carvalho

Patrono: Paulo Leminski

Acadêmica: Geilda Souza de Carvalho

Cadeira: 22

APOGEU MODERNO: Tema: “DESTINO”
Título: “Brilho da Luz”



Patrono: Paulo Leminski
Acadêmica: Geilda Souza de Carvalho
Cadeira: 22

APOGEU MODERNO: Tema: “DESTINO”
Título: “Brilho da Luz”

Linhas desenhadas no passado, distante...
Atitudes fundamentais em ações,
Destino, consequência de nossas decisões,
Do poder mudar sua trajetória!

Curvas desenhadas p´ro futuro promissor,
Nas cartas do baralho, do amor,
Destino da vida, minha Vitória!
Alcançar objetivos e glória!

Destino existente, resultado do presente,
Às vezes a vida nos prega peças,
Destino, dar voltas na Ironia!

Renovando todos os dias,
Um pensamento transformador,
Um futuro brilhante e encantador!

Geilda Souza de Carvalho




APOGEU Moderno Tema: “Destino” **By**Acadêmico: Antonio Jorge Santos.







Patrono: Chico Buarque de Hollanda
Acadêmico: Antonio Jorge Santos.
Cadeira: 24

APOGEU Moderno
Tema: “Destino”

Destino ou acaso...

É tanto acontecimento na vida da gente
Que tentamos saber por que,
Se é destino ou acaso...
O meu apego por você é uma delas.
Quem pode fugir do seu destino?
Quem o faria se amar
Nos faz tão feliz? Quem?
A vida só é completa com amor...
Um dia teu acaso ou destino irá
Te abraçar e acalentar teu coração,
A felicidade sorrirá para você
Arrancando do teu coração toda magoa
Se alguma lá estiver...
Viver e sonhar é deixar tudo acontecer
Naturalmente, pelo acaso da vida,
Ou pelo destino dela, seja como for.
Ninguém pode mudar este caminho...
Se pudesse mudar,
Talvez fizessem tudo errado.
Deixem o acaso ou destino acontecer;
Só assim sabe que com amor viverá...

___________Antonio J Santos




Apogeu Poético - Moderno. TEMA: DESTINO**BY**Acadêmica José adão Ribeiro.





Patrono: Machado de Assis
Acadêmica José adão Ribeiro.
Cadeira: 03 - AVL.
Projeto: Apogeu Poético - Moderno.
DESTINO
Autor: José adão Ribeiro.

Destino cada um têm o seu
Basta seguir o que 
Os desejos do coração
Implora em buscar
Implora em sentir
Pela sede de amar
Com a vontade de ao lado 
Estar feliz mais que apaixonado
Neste mundo de surpresa
Que merece destreza

Destino são diversos
Pelas escolhas que determinamos 
Seguir nesta vida de surpresa
Seguir o que pode realmente nos confortar
Seguir o que pode encantar
Os momentos reais 
Na estrada do destino
Mágico que pode haver 
Quando menos esperarmos
Ele pode renascer

Renascer... Depois 
Que La estiver
Traçado pela vida
Sejam homens ou mulher
Destinos não têm cor
Não tem raça e nem credo
E sim ha esperança
De paz amor sem ganância
Por ser a busca da aliança

Destino meu ainda não sei
Só o momento nos dirá
Destinos é vontade 
De querer viver com magia 
E prazer...
Destino é viver
É esperança de conviver
É a magia da sobrevivência
Sem nenhuma carência 

Autor: José adão Ribeiro.